Sophie Fontanel, que está na casa dos 50, é uma jornalista de moda e autora do livro “A Arte de Dormir Sozinha”, tem um jeito único de se vestir, diferente da maioria das francesas. No seu armário, um mix excêntrico de proporções e roupas masculinas renderam mais de 150 mil seguidores no instagram com suas fotos tiradas no espelho. Esse ícone de estilo deu algumas dicas sobre como se vestir bem, comprar peças vintage, e o que significa ser feminina depois dos 40 para a Vogue em 2016, mas são coisas atemporais e que, na verdade, são lições para todas as idades. Achei que valia a pena registrar aqui, e também complementar com as minhas próprias observações, na busca incessante de inspirar e empoderar mulheres a serem cada vez mais autênticas!

sophie fontanel

1- Nossas selfies, nós mesmas

Fontanel disse que costumava pensar que ficava horrível em fotos e que não deveria ser fotografada; se achava feia porque, todas as vezes que alguém pedia para tirar uma foto dela, ela tinha medo e a foto acabava ficando ruim. Isso mudou com o primeiro iPhone dela, quando ela começou a tirar fotos de si mesma e descobriu que, na verdade, ela não era feia e conseguiu olhar pra si mesma com gentileza pela primeira vez na vida. Sophie acha que selfies são importantes para a autoaceitação. Quando ela começou a postar suas selfies no instagram, ficou muito surpresa com os elogios que recebia e, aos poucos, aprendeu como descobrir a si mesma.

2- Não há muita diferença entre saber seus melhores ângulos e conhecer a si mesma

Sophie diz que é muito importante saber qual é o seu melhor perfil, e que precisamos ser amigas de nós mesmas, na nossa própria companhia, para enfim nos revelarmos para o mundo. O autoconhecimento surge desses encontros com nós mesmas.

3- Há muito mais sutileza para a sensualidade do que se pensa

Para Fontanel, é impossível vestir-se de maneira abertamente sensual. A sensualidade deve ser algo sutil. Ela diz que o mais importante é sugerir sem mostrar muito: delicadeza, gentileza, senso de humor, inteligência, expressando o seu verdadeiro eu. A sensualidade não precisa ser óbvia se você não fica confortável com uma saia lápis e saltos altos, por exemplo. Muitas mulheres são muito femininas e se vestem de maneira sensual, expressando a feminilidade da maneira que lhes é confortável. Mas Sophie se sente de uma maneira diferente, e não quer ser um objeto sexual em nenhum momento. De acordo com ela, um dos privilégios da idade é que, se ela quiser gostar de si mesma e desligar a luz do desejo sexual, ela consegue. Fontanel diz que, se na idade dela, uma mulher ficar obcecada com uma imagem sexy, sofrerá muito, porque há mulheres muito mais jovens em todos os lugares e a todo o tempo e, ao invés de competir com as mulheres mais jovens, é preciso encontrar o seu jeito próprio de ser sensual, que pode ser invisível.

4- Saltos altos são ótimos, mas conseguir caminhar é muito melhor

Sophie diz que é obcecada por conseguir caminhar pelas ruas com uma boa allure – que, em francês, se refere ao jeito como você caminha – e ela gosta de se sentir capaz de caminhar facilmente. Se Fontanel usa saltos, ela usa saltos baixos, e diz que gosta de caminhar de um jeito que seria como se um cowboy se misturasse à Audrey Hepburn.

5- Nunca subestime o poder das proporções

Fontanel se define como uma mistura de coisas frágeis, porque gosta de tons de cores bebê, e usa cores muito suaves, ao passo que, de vez em quando, escolhe calças masculinas cinzas. Sophie diz que gosta de comprar roupas muito largas, e que gosta de comprar suas blusas nos flea markets: ela nunca olha os tamanhos, e as vezes podem ser enormes e incríveis. Pra ela, quanto maior, melhor. Ela gosta de cintos porque, com calças e blusas amplas, é preciso um belo cinto para acentuar a sua cintura. Ela diz que pode não ser o melhor estilo de todos, mas que é o estilo dela.

6- Homens morrem de medo das mulheres – devemos usar isso a nosso favor

Sophie diz que as mulheres tem muitos poderes: trabalhamos muito na suavidade nas nossas roupas porque, caso contrário, assustamos muito os homens (e eles se assustam com facilidade). Segundo ela, os homens morrem de medo porque nós mulheres somos pequenas bombas: nós trabalhamos muito, temos ótimos empregos, nos vestimos muito bem, somos comunicativas, divertidas. Isto posto, os homens se perguntam como poderiam contribuir com algo para as nossas vidas, já que somos completas; é por isso que a roupa é tão importante: o ideal é nos vestirmos de modo acolhedor, e não como as guerreiras que somos, porque isso afastaria qualquer pessoa de nós.

7- Saiba como gastar o seu dinheiro

Fontanel gosta de comprar coisas vintage, e cerca de 80% das suas compras são feitas nesse mercado, ao passo que ela compra coisas caras que não são vintages. Compras inteligentes são a chave para um armário prático e completo, deixando a frase “não tenho nada pra vestir” no passado.

8- Aproveite as oportunidades para experimentar

Sophie Fontanel diz que, na França, todos são estilosos, mas o problema é que este estilo pode ser meio chato porque é o mesmo para todas as mulheres: na alta sociedade de Paris, são calças jeans slim, sapatilhas, uma simples t-shirt, um casaco cinza, e um cabelo simples. Essa típica mulher francesa é muito entediante para Sophie, e é por isso que ela se permite tentar de tudo, mesmo se for só pra ver como fica. A jornalista não aceita que a idade dela defina quais os tipos de roupa que ela deve vestir, e incentiva as pessoas a inventar novas versões de si mesmas, sem ter vergonha de experimentar de tudo.

9- Para ser bem vestida, é preciso ser culta

Fontanel é incisiva ao dizer que, para ser bem vestida, é preciso aprender ao assistir filmes antigos, frequentar museus, e também pesquisar na internet. Ela sugere, por exemplo, buscar imagens de Marilyn Monroe, que era muito bem vestida com calças simples. A jornalista destaca a importância de ver outras coisas que vão além das páginas das revistas e editoriais de moda: é preciso ler bons livros, ler poesia, alimentar a sua alma de coisas boas e bonitas, porque só assim você compreende como se vestir bem. Particularmente, eu acho que essa é a dica mais valiosa de todas: afinal, vestir-se é uma parte deliciosa da vida, mas não é tudo o que a gente vive. Muito mais importante do que a roupa que se veste, é a vida que se vive usando cada roupa.

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s