Em busca do #aerolook perfeito

Bem, pra começo de conversa, a perfeição pode ser discutível; afinal de contas, o que é perfeito pra mim pode não ser perfeito pra você por diversos motivos.

Entretanto, podemos pensar em algumas linhas gerais que ajudam a montar um #aerolook elegante & confortável – afinal de contas, é sempre bom vestir-se com elegância e conforto.

572d4a70-1f38-49af-91b0-f594f23dd652
meu #aerolook voltando do Rio agora em maio

Quando eu penso em #aerolook, penso em confortáveis camadas de roupa, preferencialmente em cores escuras. Já aconteceu de cair bebida, molho e comida nas minhas roupas em vários aviões e aeroportos desse mundo, e roupas de cores escuras escondem melhor esse tipo de acidente, uma vez que a próxima oportunidade de tomar um banho e trocar-se ainda pode estar a horas de distância.

Ao vestir-se para um vôo, as camadas de roupa são úteis porque podemos enfrentar diferentes temperaturas desde a hora que saímos de casa ou do hotel até o momento de chegar ao destino. No verão, por exemplo, eu geralmente viajo de t-shirt de manga curta, com um casaco quentinho sempre à mão. Se o destino for de inverno, o casaco mais pesado já vai na mão/corpo, economizando espaço na mala. Eu lembro de uma época em que o Galeão estava sem ar condicionado funcionando na área de embarque internacional, eu estava levando grupo pra Orlando em janeiro (ou seja, inverno nos EUA), e o único jeito de sobreviver ao calor do Rio em pleno verão foi tirando os casacos e cachecóis até a hora de entrar no avião.

Captura de Tela 2019-06-18 às 17.42.13
óculos escuros + casaco quentinho + tricô + calça de moletom + all star

Eu SEMPRE viajo de calça porque, além de ser friorenta, acho que as calças nos dão mais liberdade de movimento nesse lugar desconfortável que é o avião. Entretanto, eu particularmente não gosto de viajar de calça jeans; prefiro calças de moletom (tenho sempre uma ou duas calças de moletom pretas da Hering novinhas em casa!), ou de tencel, ou outros tecidos molinhos e quentinhos. E eu sempre carrego uma echarpe/cachecol dentro da bolsa, que eu consiga pegar fácil e rapidamente, que faz as vezes de manta quando o ar condicionado do avião está gelado demais.

Roupas muito apertadas não são amigas de longos vôos, porque nós costumamos inchar enquanto voamos. Quando inchamos, roupas apertadas não só incomodam como também atrapalham a circulação – que já sofre nas alturas. Para garantir o bem-estar do nosso corpo, outra boa dica é escolher tecidos respiráveis (alô fibra natural!) que, além de garantirem o conforto, reduzem as chances de odores indesejados e são mais elegantes. E, falando em elegância, as roupas apertadas não só são menos práticas como também são escolhas menos elegantes.

Saltos altos não tem espaço na minha vida por conta de uma dor crônica que eu tenho no tornozelo direito, mas mesmo pra quem pode andar de salto eu não recomendo essa escolha para encarar aeroportos e aviões. Nos aeroportos, a gente nunca sabe o quanto vai andar, ou quanto tempo vai ficar em pé, e nem mesmo se vai conseguir um carrinho para empurrar as malas. Para viajar, é preferível usar tênis, ou então optar por sapatilhas. Se você for sair do avião direto pra um compromisso profissional e você queira muito usar salto, recomendo ir de sapatilha e levar o salto na bolsa.

Outro item indispensável num #aerolook é um bom par de óculos escuros. Além de proteger do sol, inclusive nas alturas durante os vôos diurnos, pode esconder as olheiras depois de uma noite mal dormida (ou nada dormida).

Captura de Tela 2019-06-18 às 17.39.50.png

Particularmente, eu não gosto de viajar de mochila, porque me cansa muito mais rápido; já que eu tenho MUITA dificuldade de dormir em avião, eu tento salvar toda a energia que eu puder guardar nessa “rotina de aeroporto”. Isso não significa que eu não viaje de mochila, pelo contrário, tem acontecido até com frequência ultimamente. Mas o jeitinho que eu mais gosto de carregar minhas coisinhas na bagagem de mão é numa mala de rodinhas (preferencialmente daquelas que giram 360˚) com uma bolsa Longchamp Le Pliage, que vai embaixo do banco da frente. Eu sou MUITO FÃ do modelo Le Pliage da Longchamp, tenho de várias cores e tamanhos porque eu uso MUITO; eu confesso que fico até meio perdida quando viajo sem uma delas!

Para os homens, o  #aerolook também deve seguir a máxima do conforto + elegância, e a dica das cores escuras nas roupas também tá valendo. Carregar seus itens pessoais numa bela mochila de couro pode elevar seu look, e também não esqueça seus óculos escuros.

Pra vestir e amar o corpo que se tem

Já conversamos muito por aqui sobre as maneiras como a consultoria de imagem pode nos empoderar e garantir um olhar mais gentil com aquela pessoa que nos observa no espelho, e a importância de termos a autoestima bem trabalhada, mas esse é um assunto inesgotável e, por mais que eu tente a cada dia melhorar a minha autoimagem, sempre há o que superar.

Estamos de férias no Brasil e passamos alguns dias em Brasília, e nos hospedamos no Brasília Palace Hotel. Estava um calor de matar e a piscina do hotel era convidativa. Mas e a coragem de colocar o corpo pra jogo, principalmente depois da comilança intensa desde o dia que cheguei ao Brasil?

Em pouco mais de 2 semanas em terras brasilis, eu acho que já engordei uns 3 quilos. Estou me permitindo comer tudo o que eu amo e sinto falta quando estamos na Armênia. Minha barriga está demonstrando isso pra quem quiser ver. Mas eu vesti o maiô e fui pra piscina mesmo assim, sem vergonha nem medo de aproveitar o sol.

E não foi só isso: eu tirei fotos de maiô relaxando à beira da piscina, e ainda tive coragem de postar no Instagram. Sim, coragem. Porque é claro que é preciso coragem pra expor a celulite, a pança proeminente, o bracinho gorducho e as pernas roliças na rede social sem nenhum retoque.

Mas a coragem maior é a aceitação diária do corpo que se tem, e amar incondicionalmente a pele onde se habita. Quanto mais eu respeito o meu corpo e me visto de acordo com as minhas medidas e proporções, mais autêntica é a imagem que eu transmito pro mundo, e mais confiança eu sinto. Da próxima vez que você for se vestir e se olhar no espelho, que tal tentar isso também?

O que vestir quando se trabalha em Home Office?

Trabalhar em Home Office tem se tornado algo cada vez mais comum, e requer bastante disciplina porque testa todos os nossos limites: entre tantos outros, as vontades de assaltar a geladeira e/ou tirar uma (ou várias) sonecas ao longo do dia, resolver questões profissionais fora do ambiente de trabalho, deixar a TV ligada e, principalmente, ficar de pijama o dia inteiro. Faz algum tempo que eu trabalho em Home Office: desde o período do Mestrado, em que eu passava muito mais tempo no meu escritório em casa escrevendo a dissertação do que em qualquer outro lugar, e principalmente depois que mudamos pra Armênia quando acabei me aventurando pelo universo da escrita (de livros e blogs).

IMG_9926
calça de moletom da Hering, blusa de moletom da Cantão, meia roubada do meu pai

É por isso que, ao abordar o assunto Home Office, eu falo com a propriedade de quem tem conhecimento de causa: quando o marido veste o terno e sai pra trabalhar, eu também visto as minhas roupas de trabalho e entro no meu escritório, que é, pra mim, um lugar sagrado de trabalho. Inclusive, eu procuro obedecer a um horário de trabalho, que é pra não exagerar nem pra mais nem pra menos. Quem não trabalha em Home Office pode até ter dificuldade em compreender a sacralidade do ambiente e do horário de trabalho, mas a gente precisa ter tudo muito claro e prezar muito pela rotina. É justamente pelo meu conhecimento de causa que tirei algumas fotos pra ilustrar este post com looks que eu de fato uso em casa pra trabalhar com conforto e dignidade.

Quem trabalha em Home Office precisa observar, no mínimo, 2 regras principais: ter um espaço destinado unicamente ao seu trabalho, e não ficar de pijama o dia todo. Definir um ambiente de trabalho – seja um cômodo, como é o meu caso, ou mesmo só uma escrivaninha num canto específico – faz toda a diferença pra quem trabalha de casa.

Do mesmo modo, vestir-se adequadamente para trabalhar em casa afeta diretamente a sua produtividade e disposição pra trabalhar. É óbvio que você não vai vestir terno e gravata pra trabalhar em Home Office: existe um meio termo entre o pijama e o terno.

Nada de peças que possam restringir seus movimentos: afinal, você está em casa, e pode se dar ao luxo de trabalhar com conforto. Isso não significa trabalhar de roupa velha e/ou rasgada e/ou desleixada. Se quem trabalha fora compra roupa de trabalho, quem trabalha em Home Office também tem o direito de comprar roupa pra trabalhar! Pensa comigo: toca a campainha, e você ainda tá de pijama e nem penteou o cabelo desde que saiu da cama. Vergonhoso, não é? Mas você não vai passar vergonha nenhuma se tiver opções de vestimenta adequadas pra trabalhar de casa.

HQXTE4824
camisa Zara, calça Marisa, chinelo memory foam Matalan

Home office com camisa social? Se for uma camisa bem confortável e que não cause restrições aos seus movimentos, será uma das suas melhores opções. Essa que estou usando na foto veio diretamente do armário do marido.

UHWN5239
look da esquerda: blusa de algodão Farm, calça moletom Hering, meia Trifil, sapatilha memory foam Matalan                                                                                                                                                  look da direita: blusa de linho Zara, calça moletom Gap, meia Trifil, chinelo memory foam Matalan

Calça de moletom tem passe livre no inverno, preferencialmente com bolsos (afinal, pijamas não costumam ter bolsos). Ainda pensando nos climas mais frios, combinar a calça de moletom com uma blusa de manga comprida de algodão, e deixar um cardigã de lã à mão garantirá um look digno e quentinho para trabalhar. Leggings também são uma ótima opção para as mulheres, principalmente se combinadas com blusas mais compridas, ou um tricô longo bem quentinho.

OPDF9282
look da esquerda: blusa dos Beatles, calça legging Farm, sapatilha memory foam Matalan        look da direita: blusa Animale, calça legging Mercatto, chinelo memory foam Matalan

No verão, aproveite que você é dona do seu espaço de trabalho e deixe as pernocas de fora: shorts de linho, algodão e tencel são super confortáveis. Homens, o mesmo vale pra vocês: tá permitido trabalhar de bermuda no seu Home Office. T-shirts de algodão evitam que o calor seja absorvido pelo corpo, então opte por elas, preferencialmente sem muitas estampas e em cores neutras, que ajudam a focar no trabalho.

MEOY8700
short Gap, t-shirts Zara, sapatilha memory foam Matalan

Em qualquer estação, é bom usar sapatos em casa pra trabalhar: afinal, você não trabalharia descalço se estivesse num escritório fora da sua casa. No verão, naqueles dias muito quentes, dá até pra fazer uma concessão e permitir as Havaianas, mas tente deixar um par específico para este fim. Eu gosto muito desses sapatinhos de memory foam porque são super confortáveis, mas eu também uso Crocs em casa, por recomendação do ortopedista. Aliás, se tem um único lugar onde tá mais do que liberado usar Crocs é em casa!

RKXW8986
look da esquerda: camiseta Shop 126, short Farm, casaquinho Marisa, sapatilha memory foam Matalan                                                                                                                                                               look da direita: camiseta Marisa, short Forever 21, casaquinho Marisa, sapatilha memory foam Matalan

No quesito acessórios, acho importante usar relógio mesmo trabalhando em casa. Pra mim, ao usar meu relógio, eu tenho a sensação de que tô realmente desempenhando meu trabalho, controlando meu horário – e é só “acabar o expediente” que eu tiro meu relógio e me sinto livre pra descansar.

A roupa ideal pra quem trabalha em home office é aquela que oferece conforto mas que poderia também ser usada na rua caso haja alguma emergência e você precise sair rápido sem se trocar. Trabalhar de casa vestindo uma roupa digna não só contribui pra sua produtividade como também influencia diretamente na sua autoestima, além de ser mais uma oportunidade de exercer a sua criatividade e aumentar o autoconhecimento ao se vestir. Pode acreditar: faz toda a diferença separar o que é traje de trabalho do que é traje de relaxar em casa, e até o seu pijama parecerá mais confortável depois que você fizer essa distinção.

Pro meu armário de home office, eu misturo peças compradas pra esse objetivo com peças que eu ainda gosto mas que já não são minhas principais opções pra usar na hora de escolher um look pra sair. Estas peças do coração fazem essa transição, prolongando o uso da roupa que eu poderia usar fora de casa sem me sentir inadequadamente vestida.

Trabalhar de casa traz uma enorme facilidade: não há necessidade de se arrumar muito todos os dias. Mas trabalhar de casa não significa necessariamente que você vai passar o dia inteiro em casa: você pode sair pra resolver algumas coisas, ou participar de reuniões e eventos. O ideal é que você seja capaz de estar pronto para qualquer uma dessas situações sem muito esforço. Também é bom não deixar de lado uma rotina de cuidados pessoais: o mínimo a se fazer é pentear o cabelo e passar protetor solar, mesmo se não for sair de casa. Não há nada de errado em manter o armário de home office casual e confortável, desde que a gente sempre tenha em mente de que estamos TRABALHANDO em casa.

07 dias só com mala de bordo em Dubai!

Estamos viajantes por aqui essa semana, não é mesmo?! Acontece que, graças a Deus, realmente tivemos a oportunidade de viajar muito nos meses de novembro e dezembro e, como é época de férias, acho útil compartilhar informações que ajudem viajantes fashion a arrumarem suas malas de maneira inteligente!

Em dezembro, passamos 1 semana em Dubai, com direito a uma day trip pra Abu Dhabi, e obviamente não queríamos despachar bagagem. Com a organização certa, pensando direitinho na nossa programação, foi possível montar uma mala de bordo inteligente pra mim e outra pro marido!

Essa viagem tinha uma programação interessante: queríamos aproveitar as ofertas da culinária internacional em Dubai, ao mesmo tempo em que iríamos para 1 parque aquático e 3 parques temáticos! Eu queria uma mala prática, com looks bonitos e confortáveis e que, preferencialmente, não desrespeitassem a cultura árabe. Com as temperaturas beirando os 30ºC, um ventinho um pouco inconveniente à noite, e muitos lugares climatizados, era importante estar preparado pra tudo!

IMG_8714
vestido Eva, suéter Cath Kidston, bolsa Saint Laurent, tênis Converse All Star, óculos Ray Ban
IMG_8781
quando o suéter Cath Kidston entrou em ação pra me proteger do vento na Marina de Dubai, o vestido Eva ficou parecendo uma saia!
IMG_8803
maiô Tryia para Riachuelo, short comprado em Walt Disney World
IMG_8826
camisa de chamois e vestido Eva (que, usada desse jeito, ficou parecendo uma saia), bolsa Chanel, sapatilhas Usaflex
IMG_8853
aqui dá pra ver o vestido melhor – o escolhido para a noite de Natal!

Pros parques temáticos, eu gosto de muito conforto e praticidade, então combinei t-shirts com a calça jeans. Pro parque Ferrari World, acabei indo com esse conjunto de moletom azul marinho – o que foi a minha sorte, já que é totalmente indoor e era o parque mais gelado de todos! – que é bem soltinho e muito confortável também.

IMG_8876
t-shirt Uniqlo, bolsa Saint Laurent, calça jeans Levis, tênis Converse All Star
IQML7294
t-shirt comprada no Wizarding World of Harry Potter, calça jeans Levis, tênis Converse All Star, óculos Aldo, mochila Uncle K
look ferrari
blusa e calça de moletom Farm, bolsa Saint Laurent, tênis Converse All Star

Além destas peças de roupa, eu ainda levei mais 3 t-shirts, 2 saias midi, 1 suéter de cashmere, 1 lenço de seda, 1 sapatilha e 1 chinelo Havaianas, além de meias, underwear e pijama. Só quando estava escolhendo as fotos pro post é que me dei conta de que não tirei foto de todos os looks que usei! My bad. No vôo, usei a calça jeans Levis e o tênis Converse All Star que aparecem nas fotos, uma camisa jeans, um cardigan de cashmere, um cachecol e o casacão. Dessa vez, levei a bolsa da Longchamp dobrada dentro da mala, caso fosse necessário usá-la pra acomodar alguma compra (mas graças a Deus não foi preciso! Consegui arrumar tudo tão direitinho que até o Nintendo Switch coube na mochila do marido hihihihi) e viajei com a mochila da Uncle K que aparece em uma das fotos.

Com isso, tá comprovado que dá pra levar muita roupa numa mala de mão, viajando com praticidade e mantendo a dignidade em temperaturas elevadas!

Looks de viagem no inverno europeu

É inverno no Hemisfério Norte, e as temperaturas nesta época do ano são bem mais baixas por aqui do que os brasileiros costumam estar acostumados. Nós passamos 1 mês viajando pelo Reino Unido e Irlanda e, embora ainda fosse outono, as temperaturas estavam muito baixas – principalmente no interior da Inglaterra e na Irlanda do Norte! – o que exigia roupas de inverno.

Eu já contei sobre a minha mala de verão e desmistifiquei o glamour que vemos nas redes sociais dos globetrotters: não tem nada de errado a gente querer ficar bonito durante as férias, mas a praticidade e o conforto são fundamentais pra quem caminha pela cidade inteira e/ou anda de metrô e ônibus, e não tem orçamento pra táxis, ubers e/ou motoristas particulares o tempo todo.

E, se já fomos econômicos naquela mala de verão, conseguimos nos superar pra essa viagem invernal: despachamos uma única mala grande, e cada um tinha uma bagagem de mão, além da minha bolsa pessoal Longchamp que acomoda todas as nossas coisas que poderíamos precisar acessar com facilidade durante o vôo.

Dessa vez eu não fiz post sobre a organização da mala por um motivo simples: eu só levei 6 peças de roupas minhas na mala, além do meu pijama, underwear, e a bolsa tiracolo e a mochila Prada. Como eu tinha planejado comprar mais roupas de inverno na Uniqlo (eu não sou ninguém sem a linha Heattech deles), eu não levei nem roupa térmica, só a que já foi no corpo. Pra viajar, eu usei uma tshirt de manga comprida, a calça cinza da GAP, o casaco preto da Zara, um suéter da Stradivarius (que eu usei um monte mas acabou não aparecendo em nenhuma foto aqui), e a bota marrom da UGG, que foi o único sapato que eu levei: depois comprei em Londres mais uma bota e um tênis. Então não seria justo mostrar uma mala arrumada sem nada né?

Numa viagem de 28 dias, nós pegamos trem 2 vezes, avião 1 vez, e viajamos 2 trechos de carro, e sabíamos que não ficaríamos só em perímetros urbanos, o que pedia roupas confortáveis de verdade. Nos organizamos para lavarmos nossas roupas 4 vezes, e nós nos viramos muito bem com uma única mala pra nós dois, que não excedeu 20kg até chegarmos à Irlanda do Norte. Foi só mesmo na Irlanda, nos últimos dias das nossas férias, que precisamos reorganizar a bagagem por conta dos meus livros ilustrados do Harry Potter, que são pesadíssimos!

Acreditem: em algumas dessas fotos, eu estou usando 3 calças, uma por baixo da outra! Consequentemente, a saia da Le Lis Blanc acabou virando peso morto (ainda bem que ela é leve, mas mesmo assim eu detesto carregar peso morto em viagens). E, em viagens de inverno, não tem jeito: o que vai aparecer mesmo é o casaco. A menos que você esteja disposto a ter uma bagagem imensa, é melhor não exagerar: eu fui com um casaco e levei mais um na mala, e acabei comprando mais um da Uniqlo (e acabei achando 3 casacos demais, podia ter me virado bem só com o da Zara e o da Uniqlo). Por mais que todo dia eu trocasse de blusa/camisa e suéter (à disposição, eu tinha 6 camisas, 8 blusas de gola alta, e 3 suéteres), nenhuma delas apareceu nestas fotos! E por quê?! Porque a gente acaba tirando mais fotos ao ar livre e, no frio, não dá pra tirar o casaco!

Os acessórios são, sem dúvida, os melhores amigos pra mudar a cara dos looks de inverno – no dia a dia e em viagens. Eu adoro cachecóis, e aproveitei pra comprar mais alguns de cashmere na Uniqlo (a cashmere deles é ótima!), além do cachecol enorme de lã que o marido me deu no dia do meu aniversário. Acabei comprando também o gorro vinho e as earmuffs da Accessorize, e antes do meio da viagem eu aposentei a boina da Stradivarius porque ela não protegia minhas orelhas.

IMG_7448
casaco Zara, cachecol e meia calça Heattech Uniqlo, saia Le Lis Blanc, botas UGG
IMG_7469
casaco e cachecol Zara, calça de veludo Heattech Uniqlo, botas UGG
LIPU0178
casaco e cachecol Zara, bolsa Prada, calça Heattech Uniqlo, tênis Vans
IMG_7806
boina Stradivarius, casaco Zara, calça Heattech Uniqlo, botas UGG, bolsa Prada
IMG_7882
casaco e cachecol Zara, earmuffs Accessorize, calça GAP, botas UGG, bolsa Prada
IMG_7990
mochila Prada, earmuffs Accessorize, casaco Zara, cachecol e calça Heattech Uniqlo, tênis Vans
DCOV3048
cachecol, luvas e calça Heattech Uniqlo, earmuffs Accessorize, óculos Ray Ban, casaco Zara, mochila Prada
HTAZ8208
earmuffs Accessorize, casaco Zara, cachecol e calça Uniqlo, mochila Prada, botas UGG
XVHG1798
gorro Aran Tradition, cachecol e casaco Uniqlo, calça John Lewis, bolsa Chanel, botas UGG
MVFH3371
gorro Aran Tradition, cachecol Edinburgh Woolen Mill, casaco Zara, calça John Lewis, mochila Prada
IMG_8383
gorro Aran Tradition, casaco e cachecol Zara, calça Uniqlo, botas UGG, mochila Prada
IMG_8407
earmuffs Accessorize, cachecol Edinburgh Woollen Mill, bolsa Prada, casaco Zara, luvas Uniqlo, calça GAP, botas UGG
RVQN5811
cachecol, blusa de gola alta e calça Heattech Uniqlo, casaco Zara, mochila Prada (embora não esteja na foto, eu estava com o tênis Vans nesse dia) – eu comprei várias cores dessa blusa de gola alta na Uniqlo e, embora não apareça nas outras fotos, foi praticamente o que eu usei durante a viagem!
XNVZ0854
gorro Aran Tradition, cachecol Edinburgh Woollen Mill, casaco Zara, mochila Prada, calça GAP, botas UGG
IMG_8628
gorro Aran Tradition, cachecol Edinburgh Woollen Mill, casaco Zara, calça Uniqlo, mochila Prada, botas UGG

 

 

Looks de viagem no verão europeu

Quando a gente viaja, é claro que a gente quer ficar bonitinha nas fotos: afinal, são estes registros aos quais vamos recorrer quando sentirmos saudade daquela viagem, além de mostrar pra nossa família e nossos amigos.

Mas manter a dignidade nos looks de uma viagem nem sempre é fácil, principalmente quando a ideia é carregar pouca coisa. Some-se a isso as longas horas andando pelas cidades, tomando transporte público, e ainda prestando atenção pra não sofrer um furto (os pick pockets estão por toda parte!) que pode transformar a alegria de uma viagem num transtorno sem fim.

Com o advento das redes sociais, o que a gente mais vê são pessoas lindas e glamurosas passeando por Paris, Berlim, Londres, Nova Iorque, etc etc, com seus saltos altíssimos e suas peças de luxo, porque tem carro à disposição e pode ser até que só desçam do carro pra fazer o #lookdodia ou pra entrar em algum restaurante caríssimo. Na vida real, não é assim que funciona: a gente entra no metrô e no ônibus, caminha pela cidade inteira, torce o pé nas calçadas nem sempre muito bem conservadas, entre outros.

Nas nossas últimas férias, que começaram no finalzinho de maio e se estenderam até o final de junho, a gente quis carregar a menor quantidade de coisas possível, o que naturalmente limitava os meus looks. Mas acho que consegui manter alguma dignidade, mesmo com o calor surreal que estava fazendo em Nice, Cannes, Mônaco, Milão, Berlim, Potsdam e Praga, combinando todas as peças que carreguei, e adicionando uns vestidinhos que comprei ao longo da viagem. Em Vienna, 2 dos 3 dias foram mais frescos; o dia em que fomos à Bratislava também estava um pouco mais fresco. Em Moscou e São Petersburgo estava frio – principalmente em São Petersburgo, onde as temperaturas não passaram dos 12ºC!

IMG_3910
casaco Uniqlo, t-shirt de manga comprida Zara, calça Zara, tênis Converse All Star, mochila Longchamp
IMG_4133
trench coat Burberry, calça jeans Cantão, tênis Usaflex, t-shirt de manga comprida Zara, mochila Longchamp
IMG_4241
Camiseta de algodão e short jeans Animale, sapatilha Usaflex, bolsa Gucci e cinto herdado da Mivó
IMG_4580
t-shirt Stradivarius, salopete Mango, bolsa Gucci, sandália Usaflex
IMG_0244
t-shirt Zara, short jeans Animale, bolsa Gucci, sandália Usaflex
IMG_4835
salopete Mango, t-shirt Zara, mochila Longchamp, sandália Usaflex
IMG_4912
camiseta de algodão e short jeans Animale, bolsa Gucci, sandália Usaflex, jaqueta impermeável Zara
IMG_5105
Salopete Mango, camisa de tricoline Zara, mochila Longchamp, tênis Converse All Star
IMG_5145
macaquinho H&M, bolsa Gucci, sandália Usaflex
IMG_0493
t-shirt Zara, short jeans Animale, bolsa Gucci, tênis Converse All Star
IMG_5200
vestido H&M, cardigan Tommy Hilfiger, bolsa Chloé, sandália Usaflex
IMG_0502
camiseta de algodão Animale, calça jeans Cantão, tênis Usaflex, mochila Longchamp
IMG_0628
vestido H&M, mochila Longchamp, sandália Usaflex
IMG_0669
jaqueta impermeável e t-shirt Zara, calça jeans Cantão, sapatilha Usaflex, bolsa Gucci
IMG_0806
t-shirt de manga comprida Zara, calça Cantão, mochila Fjällräven, tênis Usaflex
IMG_0834
camisa de tricoline Zara, short jeans Animale, mochila Fjällräven

Depois de 28 dias viajando de férias com o marido, voltamos pra Yerevan e eu fui pra Portugal encontrar meus pais! Foi uma continuação das férias, mas os looks foram outros, já que a maioria das peças que usei vieram do Brasil nas malas deles.

6174653776_img_1119
t-shirt Bershka, calça Animale, cinto ABrand, mochila Fjällräven
img_5509
suéter Cantão, calça Animale, tênis Converse All Star, mochila Fjällräven, colar Monte Carlo
img_5660
t-shirt Bershka, short jeans Animale, mochila Fjällräven, tênis Converse All Star, meia do Mickey comprada na Disney