Editando um armário cápsula de outono

Há mais de 2 anos, eu escrevi um post apresentando algumas dicas para fazer uma versão real do armário cápsula, que é um dos posts mais acessados na história desse blog. Com o começo do outono por aqui, que veio acompanhado de uma queda drástica nas temperaturas, eu resolvi editar um armário cápsula para a minha estação favorita a partir de peças que já habitam o meu armário.

Mais uma vez, meu ponto de partida foi uma paleta de cores restrita, buscando montar um grupo coerente de peças que funcionem entre si, permitindo multiplicar o máximo possível o número de combinações. O grupo de cores de base é formado pelos tons neutros de caramelo/cinza/preto, o grupo de suporte ficou por conta dos azuis, e as cores vinho e verde pontuam esse armário cápsula.

Para esse capsule wardrobe de outono, que poderia ser um armário cápsula de inverno em algumas cidades do Brasil, eu escolhi:

  • um trench coat longo
  • uma parka impermeável que tem forro removível
  • um blazer xadrez
  • um “chunky” suéter de lã
  • um suéter de algodão
  • um suéter de cashmere
  • uma camisa com pérolas aplicadas na pala
  • uma camisa social de veludo cotelê
  • uma camisa social xadrez
  • uma calça xadrez
  • uma calça de veludo cotelê
  • uma calça jeans
  • uma estola de cashmere
  • um cachecol de lã
  • uma bolsa grande
  • uma bolsa média
  • uma bolsa pequena
  • um par de tênis branco
  • um par de mocassim preto
  • um par de botas modelo “Chelsea”

Note que, das 20 peças escolhidas para o meu armário cápsula de outono, 4 delas já formavam conjuntinhos: o blazer e a calça xadrez compõem um terninho, look clássico para situações mais formais, enquanto a camisa e a calça de veludo cotelê já garantiriam um look caí na tinta. Além disso, esse armário cápsula segue o princípio de ter mais peças de cima (tops) do que peças de baixo (bottoms), o que sempre garante uma maior versatilidade.

O grande twist desse armário cápsula é, pra mim, o tênis branco. Um tênis branco tem a capacidade de modernizar o que é clássico, de dar personalidade ao look. Por sua vez, a bota modelo “Chelsea” é um clássico, diria até um básico para estações mais frias.

Com essas 20 peças, eu consigo pensar em incontáveis combinações: todas as calças combinam com todas as camisas, todas as calças combinam com todos os suéteres, resultando em 18 combinações possíveis. Se pensarmos nos casacos, esse número ainda triplica!

Como cuidar e prolongar a vida das suas roupas?

Confesso: eu já fui a pessoa que colocava todas as roupas juntas para lavar, ignorando solenemente cores e recomendações nas etiquetas de composição. Já deixei as roupas todas rosas porque coloquei um lenço vermelho pra lavar no meio de um monte de roupa branca (inclusive roupas do marido). Já encolhi muita roupa porque usei o ciclo errado da máquina de lavar e da máquina de secar. Mas isso mudou.

IMG_7774

Entender a importância da etiqueta de composição das roupas vai muito além da relação custo x benefício quando se compra uma peça: ali está o “manual da roupa”, com as indicações básicas de cuidado que você deve ter com aquela peça pra que ela dure muito tempo da melhor forma possível.

Na Armênia, eu tinha uma baita colher de chá na minha rotina de lavagem de roupas, porque o serviço de lavanderia lá era muito barato, então eu basicamente separava as roupas entre as que iam pra lavanderia e as que eu ia lavar em casa (sempre as mais fáceis). Sem contar que, lá, tínhamos um espacinho de lavanderia em casa que realmente permitia deixar um varal aberto 24/7, secando livremente as roupas, além de um mini-tanque.

Aqui na Suíça eu não só não tenho essa colher de chá do serviço de lavanderia como também não tenho um espaço adequado para deixar as roupas secando em varal – o que me faz usar a máquina de secar muito mais do que eu gostaria – e nem mesmo um tanquinho. Então vai tudo direto pra máquina de lavar, e a grande maioria segue direto pra máquina de secar. Quando tem alguma peça que não pode ir pra máquina de secar, eu abro o varal na varanda (que é fechada) e deixo secar (não é o ideal, mas é o jeito).

A verdade é que cada ciclo de secagem na máquina diminui um pouquinho a vida das roupas – ou muito, dependendo dos erros cometidos. É muito mais saudável para os tecidos que eles sequem naturalmente, muito embora a máquina de secar, com seu ar quente, colabore e muito para matar qualquer bactéria remanescente. Também é fato que cada lavagem e secagem em máquinas diminui um pouquinho a vida útil de cada roupa. Pra que os danos sejam controlados, é importantíssimo usar os ciclos corretos, e seguir adequadamente as instruções de limpeza e manutenção tanto da máquina de lavar quanto da máquina de secar.

IMG_7772

Infelizmente, eu lavo bem mais as minhas roupas do que eu gostaria – mesmo ficando muito em casa. Mesmo usando avental, eu sempre me sujo cozinhando – sem contar os dias de faxina da casa -, então dificilmente consigo usar a mesma roupa vários dias seguidos. Por isso, aprendi a ser mais cuidadosa na hora de colocar pra lavar e secar – e tem dado certo! Vamos para as dicas práticas:

  1. Separe por cores: parece óbvio, mas eu sei que pouca gente realmente faz isso, e é o primeiro passo pra cuidar corretamente das roupas.
  2. Separe por tecidos (por exemplo, delicados, sintéticos, etc): a temperatura de lavagem das fibras é diferente, então o ideal é ter sempre esse cuidado.
  3. Explore os ciclos de lavagem e secagem da sua máquina, e adeque o ciclo de lavagem para cada fibra.
  4. Higienize as máquinas de lavar e secar com frequência: quando o tambor não está higienizado, o ambiente é propício para proliferação de bactérias que podem estragar as roupas.
  5. Procure usar o sabão adequado para cada fibra/cor: minha vida mudou desde que comecei a lavar as roupas pretas com sabão de roupa preta.
  6. Caso seu orçamento permita, procure usar produtos que ajudam a preservar as cores e fibras das roupas nas respectivas lavagens e ciclos de secagem.
  7. Para roupas que precisam de limpeza a seco, o ideal é sempre procurar um serviço especializado. Caso não seja possível, uma misturinha de álcool + água + amaciante num spray pode fazer maravilhas.

É claro que cada caso é um caso, e o ideal é que você consiga entender o que funciona pra você na sua rotina de lavagem de roupas. Aqui em casa, temos 2 carrinhos para colocar a roupa usada, ambos com 3 divisórias; mas ao invés de seguir a risca o que está escrito pra cada divisória, estipulei que separaríamos por camisas sociais, peças delicadas, peças íntimas, roupas pretas, roupas coloridas, e roupas brancas. Isso ajuda muito na hora de lavar as roupas e saber qual o melhor ciclo de lavagem, bem como quais produtos atuarão melhor na limpeza e conservação das peças.

Você tem alguma dica para facilitar a lavagem e conservar melhor as roupas? Deixa aqui nos comentários!