Zona de conforto ou look assinatura?

Estamos sempre ouvindo que é preciso sair da zona de conforto – ou melhor, das muitas zonas de conforto: seja no trabalho, no que fazemos em momentos de lazer, no que vestimos, etc. Pois eu venho humildemente contestar esse tipo de afirmação – pelo menos no que diz respeito a ter uma zona de conforto dentro do seu armário.

Não, você não leu errado. Não, eu não to doida. Na verdade, eu acho que o papel de um consultor de imagem e estilo pessoal é justamente ajudar cada indivíduo a encontrar a sua zona de conforto, transformando-a no que podemos chamar de “look assinatura”.

Pensa comigo: quantas vezes você já abriu seu armário abarrotado de roupas e teve a certeza de que não tinha o que vestir? Quantas vezes você comprou um acessório, um sapato ou uma bolsa da moda e acabou não usando? Em meio a todas as tendências de moda que consumimos, é fácil confundir-se e lotar o armário de coisas que simplesmente não fazem sentido para nós. Mas eu também tenho certeza de que, no meio de todas essas roupas que te levam a acreditar que não tem o que vestir, você tem algumas peças do coração, aquelas na direção das quais você sempre gravita, aquelas que te fazem sentir segurança e que te ajudam a ter mais gás pra enfrentar o mundo. Acertei?

Essa seria a sua zona de conforto – ou melhor, as peças que podem compor o seu look assinatura.

Se você ama usar terninho, este pode se tornar seu look assinatura. Se você ama vestidos, eles podem ser seu look assinatura. Se você gosta do comprimento midi, você pode adotá-lo como seu look assinatura. E você também pode ter mais de um look assinatura. Aliás, eu diria que a gente deve ter alguns looks assinatura, algumas combinações de peças que nos dão muita segurança e tranquilidade ao vestir para as mais diversas situações.

Em tempos de quarentena, muita gente tem descoberto a importância do conforto no home office, e tenho certeza de que muitas pessoas vão querer implementar o conforto nos looks de trabalho uma vez que a rotina fora de casa for retomada no “novo normal” (ainda não sei se gosto desse termo). E eu diria que o seu look assinatura deve ser, sim, muito confortável. 

Eu reconheço que tenho alguns looks assinatura, que compõem a minha “zona de conforto” pra facilitar a minha vida. Até mesmo para o home office eu tenho um look assinatura, já que (mesmo antes do coronavirus) eu passo muito tempo estudando, escrevendo e trabalhando de casa: calça de moletom + t-shirt, com um casaco de moletom sempre por perto. Aliás, acho que já falei por aqui que não vejo nada de errado em trabalhar de casa usando moletom; muito pelo contrário, acho a melhor opção desde que esteja num estado decente (no mínimo, sem furos ou rasgos). Para o look do home office, a minha regra é não usar nada que não pudesse usar na rua ou numa chamada de vídeo.

A gente nunca pode confundir conforto com desleixo. É absolutamente possível e nem um pouco difícil montar um look confortável com cara de pensei-muito-me-esforcei-e-o-lookinho-ficou-ótimo sem, de fato, gastar muito tempo pensando no look. Para isso, bastam algumas ferramentas de styling. É lógico que a ajuda de um consultor de imagem profissional será valiosa nesse momento, o que não significa que você não possa aprender alguns truques sozinho.

Roupas não-óbvias para trabalhar

Escolher os looks para trabalhar nem sempre é uma tarefa fácil. Na verdade, pode ser bem mais difícil escolher e construir um armário de trabalho do que o seu armário de roupas casuais, dependendo do seu estilo! E é aí que o consultor de imagem pode ajudar – e muito -, traduzindo o seu estilo pessoal para o seu armário de roupas de trabalho, encontrando, junto com você, um jeito de traduzir a sua personalidade para os looks do seu dia a dia profissional. Eu sou fã da alfaiataria da Zara (excelente custo/benefício), e escolhi algumas peças/looks que podem ser encontradas nas lojas para ilustrar esse post.

super formal X formal X informal
super formal X formal X informal: qual é o seu ambiente de trabalho?

Cada ambiente de trabalho requer um código de vestimenta; entretanto, independentemente do código de vestimenta do ambiente onde você trabalha, a roupa de trabalho tem características próprias, que devem evidenciar, ao mesmo tempo e de modo coerente, a sua personalidade e o lugar onde você trabalha. Seja num ambiente de trabalho super formal ou super informal, eu recomendaria sempre fugir de peças muito sensuais, dedinhos de fora, decotes profundos e jeans rasgados. Num mundo cada vez mais conectado e interligado, nós nunca sabemos quando vai surgir uma reunião super importante no meio do dia, que pode até mesmo ser com alguém de um outro universo de trabalho – e você certamente quer que sua imagem seja sempre o mais profissional possível.

Se o seu trabalho é super formal, será bem difícil que os homens consigam fugir do terno e que as mulheres tenham muitas alternativas ao tailleur – afinal, nestes ambientes muito formais, o que se espera é uma aparência mais convencional e séria, traduzindo eficiência e inspirando segurança. Neste caso, já que é praticamente impossível fugir da alfaiataria, de cores mais neutras, das saias na altura do joelho, de decotes mais fechados, e das calças confortáveis e não tão justas, é ainda mais importante prestar atenção na etiqueta de composição das peças, priorizando sempre tecidos de fibra natural, que esquentam menos e deixam a pele respirar com maior facilidade, ou a viscose, e evitando ao máximo o poliéster, o nylon e o acrílico.

Acho que é mesmo nos ambientes mais formais de trabalho que os tecidos e texturas diferentes ganham mais importância, pois poderão adicionar personalidade ao seu look e fazer com que o seu armário diário passe longe da chatice! Tailleurs de linho usados com uma bela camiseta de seda podem ser uma ótima solução para dias muito quentes, ao passo que um tailleur de veludo cotelê será quentinho o suficiente pro inverno e nada óbvio, com uma bela camisa de algodão. É possível incorporar as tendências nesse armário ultra formal: o xadrez (principalmente o Príncipe de Gales) está (e ainda continuará por mais um bom tempo) SUPER em alta. Estampas muito tradicionais podem ser facilmente adotadas nestes ambientes formais de trabalho sem chamar muita atenção.

Se o seu ambiente de trabalho é um pouco menos formal (o que não significa mostrar a barriga, usar saias muito curtas ou muito justas), você tem um pouco mais de espaço de manobra pra se vestir. As cores já começam a ter um pouco mais de chance, e estampas clássicas podem fazer parte do seu look. Neste ambiente de trabalho, o comprimento midi (que é um comprimento da moda) pode ser usado: saias midi ficam ótimas com sapatilhas e, se for rodadinha, não vai grudar no corpo. Eu adoro usar saia midi com t-shirt de algodão no verão: fica bem fresquinho e “arrumadinha sem esforço”, sabe? E dá espaço pra colocar um colar mais comprido (efeito alongador da silhueta!) sem deixar o visual com informações demais. Um look de saia midi com camisa também fica muito chique. Já no inverno, acho que as saias um pouco acima do joelho, em tweed, combinadas com seus blazers, também tem vez – principalmente se usadas com meia calça preta.

Mas se o seu ambiente de trabalho é super informal (por exemplo, no meio artístico ou criativo), o código de vestimento é o mais desencanado, ousado e criativo possível – o que não significa vulgar. Então, mesmo nesses ambientes bem informais, é bom ficar longe de looks que você usaria numa noitada, que sejam muito sensuais, ou que você usaria na academia. Pra quem trabalha nessas áreas criativas, eu recomendaria abusar das estampas e peças em jacquard, e aproveitar pra usar acessórios mais chamativos, mas buscando sempre uma coerência no look – afinal, você não sabe com quem vai encontrar e se relacionar ao longo do dia!

Quanto aos sapatos, o styling dessas fotos não ajudou muito… mas pensemos em scarpins ou sapatilhas sem decotes muito evidentes. Botas baixas ou com salto médio, sem muitos detalhes e/ou ferragens exóticas, também tem sua vez. Em geral, os sapatos que circulam nos ambientes de trabalho não devem ter saltos muito altos nem finos.

E, ao pensarmos no universo das bolsas, livre-se do compromisso de combinar bolsa com o sapato – essa dobradinha não tem mais nada a ver! A bolsa e o sapato devem conversar, mas não precisam ser iguais, da mesma cor ou material.

O armário de trabalho não deve ser muito conservador, já que poderia passar uma imagem de desatualizado, mas também não deve adotar todas as últimas tendências da moda porque, nesse caso, a imagem transmitida pode ser de futilidade. Como sempre, o ideal é ter equilíbrio!

O que vestir quando se trabalha em Home Office?

Trabalhar em Home Office tem se tornado algo cada vez mais comum, e requer bastante disciplina porque testa todos os nossos limites: entre tantos outros, as vontades de assaltar a geladeira e/ou tirar uma (ou várias) sonecas ao longo do dia, resolver questões profissionais fora do ambiente de trabalho, deixar a TV ligada e, principalmente, ficar de pijama o dia inteiro. Faz algum tempo que eu trabalho em Home Office: desde o período do Mestrado, em que eu passava muito mais tempo no meu escritório em casa escrevendo a dissertação do que em qualquer outro lugar, e principalmente depois que mudamos pra Armênia quando acabei me aventurando pelo universo da escrita (de livros e blogs).

IMG_9926
calça de moletom da Hering, blusa de moletom da Cantão, meia roubada do meu pai

É por isso que, ao abordar o assunto Home Office, eu falo com a propriedade de quem tem conhecimento de causa: quando o marido veste o terno e sai pra trabalhar, eu também visto as minhas roupas de trabalho e entro no meu escritório, que é, pra mim, um lugar sagrado de trabalho. Inclusive, eu procuro obedecer a um horário de trabalho, que é pra não exagerar nem pra mais nem pra menos. Quem não trabalha em Home Office pode até ter dificuldade em compreender a sacralidade do ambiente e do horário de trabalho, mas a gente precisa ter tudo muito claro e prezar muito pela rotina. É justamente pelo meu conhecimento de causa que tirei algumas fotos pra ilustrar este post com looks que eu de fato uso em casa pra trabalhar com conforto e dignidade.

Quem trabalha em Home Office precisa observar, no mínimo, 2 regras principais: ter um espaço destinado unicamente ao seu trabalho, e não ficar de pijama o dia todo. Definir um ambiente de trabalho – seja um cômodo, como é o meu caso, ou mesmo só uma escrivaninha num canto específico – faz toda a diferença pra quem trabalha de casa.

Do mesmo modo, vestir-se adequadamente para trabalhar em casa afeta diretamente a sua produtividade e disposição pra trabalhar. É óbvio que você não vai vestir terno e gravata pra trabalhar em Home Office: existe um meio termo entre o pijama e o terno.

Nada de peças que possam restringir seus movimentos: afinal, você está em casa, e pode se dar ao luxo de trabalhar com conforto. Isso não significa trabalhar de roupa velha e/ou rasgada e/ou desleixada. Se quem trabalha fora compra roupa de trabalho, quem trabalha em Home Office também tem o direito de comprar roupa pra trabalhar! Pensa comigo: toca a campainha, e você ainda tá de pijama e nem penteou o cabelo desde que saiu da cama. Vergonhoso, não é? Mas você não vai passar vergonha nenhuma se tiver opções de vestimenta adequadas pra trabalhar de casa.

HQXTE4824
camisa Zara, calça Marisa, chinelo memory foam Matalan

Home office com camisa social? Se for uma camisa bem confortável e que não cause restrições aos seus movimentos, será uma das suas melhores opções. Essa que estou usando na foto veio diretamente do armário do marido.

UHWN5239
look da esquerda: blusa de algodão Farm, calça moletom Hering, meia Trifil, sapatilha memory foam Matalan                                                                                                                                                  look da direita: blusa de linho Zara, calça moletom Gap, meia Trifil, chinelo memory foam Matalan

Calça de moletom tem passe livre no inverno, preferencialmente com bolsos (afinal, pijamas não costumam ter bolsos). Ainda pensando nos climas mais frios, combinar a calça de moletom com uma blusa de manga comprida de algodão, e deixar um cardigã de lã à mão garantirá um look digno e quentinho para trabalhar. Leggings também são uma ótima opção para as mulheres, principalmente se combinadas com blusas mais compridas, ou um tricô longo bem quentinho.

OPDF9282
look da esquerda: blusa dos Beatles, calça legging Farm, sapatilha memory foam Matalan        look da direita: blusa Animale, calça legging Mercatto, chinelo memory foam Matalan

No verão, aproveite que você é dona do seu espaço de trabalho e deixe as pernocas de fora: shorts de linho, algodão e tencel são super confortáveis. Homens, o mesmo vale pra vocês: tá permitido trabalhar de bermuda no seu Home Office. T-shirts de algodão evitam que o calor seja absorvido pelo corpo, então opte por elas, preferencialmente sem muitas estampas e em cores neutras, que ajudam a focar no trabalho.

MEOY8700
short Gap, t-shirts Zara, sapatilha memory foam Matalan

Em qualquer estação, é bom usar sapatos em casa pra trabalhar: afinal, você não trabalharia descalço se estivesse num escritório fora da sua casa. No verão, naqueles dias muito quentes, dá até pra fazer uma concessão e permitir as Havaianas, mas tente deixar um par específico para este fim. Eu gosto muito desses sapatinhos de memory foam porque são super confortáveis, mas eu também uso Crocs em casa, por recomendação do ortopedista. Aliás, se tem um único lugar onde tá mais do que liberado usar Crocs é em casa!

RKXW8986
look da esquerda: camiseta Shop 126, short Farm, casaquinho Marisa, sapatilha memory foam Matalan                                                                                                                                                               look da direita: camiseta Marisa, short Forever 21, casaquinho Marisa, sapatilha memory foam Matalan

No quesito acessórios, acho importante usar relógio mesmo trabalhando em casa. Pra mim, ao usar meu relógio, eu tenho a sensação de que tô realmente desempenhando meu trabalho, controlando meu horário – e é só “acabar o expediente” que eu tiro meu relógio e me sinto livre pra descansar.

A roupa ideal pra quem trabalha em home office é aquela que oferece conforto mas que poderia também ser usada na rua caso haja alguma emergência e você precise sair rápido sem se trocar. Trabalhar de casa vestindo uma roupa digna não só contribui pra sua produtividade como também influencia diretamente na sua autoestima, além de ser mais uma oportunidade de exercer a sua criatividade e aumentar o autoconhecimento ao se vestir. Pode acreditar: faz toda a diferença separar o que é traje de trabalho do que é traje de relaxar em casa, e até o seu pijama parecerá mais confortável depois que você fizer essa distinção.

Pro meu armário de home office, eu misturo peças compradas pra esse objetivo com peças que eu ainda gosto mas que já não são minhas principais opções pra usar na hora de escolher um look pra sair. Estas peças do coração fazem essa transição, prolongando o uso da roupa que eu poderia usar fora de casa sem me sentir inadequadamente vestida.

Trabalhar de casa traz uma enorme facilidade: não há necessidade de se arrumar muito todos os dias. Mas trabalhar de casa não significa necessariamente que você vai passar o dia inteiro em casa: você pode sair pra resolver algumas coisas, ou participar de reuniões e eventos. O ideal é que você seja capaz de estar pronto para qualquer uma dessas situações sem muito esforço. Também é bom não deixar de lado uma rotina de cuidados pessoais: o mínimo a se fazer é pentear o cabelo e passar protetor solar, mesmo se não for sair de casa. Não há nada de errado em manter o armário de home office casual e confortável, desde que a gente sempre tenha em mente de que estamos TRABALHANDO em casa.