Zona de conforto ou look assinatura?

Estamos sempre ouvindo que é preciso sair da zona de conforto – ou melhor, das muitas zonas de conforto: seja no trabalho, no que fazemos em momentos de lazer, no que vestimos, etc. Pois eu venho humildemente contestar esse tipo de afirmação – pelo menos no que diz respeito a ter uma zona de conforto dentro do seu armário.

Não, você não leu errado. Não, eu não to doida. Na verdade, eu acho que o papel de um consultor de imagem e estilo pessoal é justamente ajudar cada indivíduo a encontrar a sua zona de conforto, transformando-a no que podemos chamar de “look assinatura”.

Pensa comigo: quantas vezes você já abriu seu armário abarrotado de roupas e teve a certeza de que não tinha o que vestir? Quantas vezes você comprou um acessório, um sapato ou uma bolsa da moda e acabou não usando? Em meio a todas as tendências de moda que consumimos, é fácil confundir-se e lotar o armário de coisas que simplesmente não fazem sentido para nós. Mas eu também tenho certeza de que, no meio de todas essas roupas que te levam a acreditar que não tem o que vestir, você tem algumas peças do coração, aquelas na direção das quais você sempre gravita, aquelas que te fazem sentir segurança e que te ajudam a ter mais gás pra enfrentar o mundo. Acertei?

Essa seria a sua zona de conforto – ou melhor, as peças que podem compor o seu look assinatura.

Se você ama usar terninho, este pode se tornar seu look assinatura. Se você ama vestidos, eles podem ser seu look assinatura. Se você gosta do comprimento midi, você pode adotá-lo como seu look assinatura. E você também pode ter mais de um look assinatura. Aliás, eu diria que a gente deve ter alguns looks assinatura, algumas combinações de peças que nos dão muita segurança e tranquilidade ao vestir para as mais diversas situações.

Em tempos de quarentena, muita gente tem descoberto a importância do conforto no home office, e tenho certeza de que muitas pessoas vão querer implementar o conforto nos looks de trabalho uma vez que a rotina fora de casa for retomada no “novo normal” (ainda não sei se gosto desse termo). E eu diria que o seu look assinatura deve ser, sim, muito confortável. 

Eu reconheço que tenho alguns looks assinatura, que compõem a minha “zona de conforto” pra facilitar a minha vida. Até mesmo para o home office eu tenho um look assinatura, já que (mesmo antes do coronavirus) eu passo muito tempo estudando, escrevendo e trabalhando de casa: calça de moletom + t-shirt, com um casaco de moletom sempre por perto. Aliás, acho que já falei por aqui que não vejo nada de errado em trabalhar de casa usando moletom; muito pelo contrário, acho a melhor opção desde que esteja num estado decente (no mínimo, sem furos ou rasgos). Para o look do home office, a minha regra é não usar nada que não pudesse usar na rua ou numa chamada de vídeo.

A gente nunca pode confundir conforto com desleixo. É absolutamente possível e nem um pouco difícil montar um look confortável com cara de pensei-muito-me-esforcei-e-o-lookinho-ficou-ótimo sem, de fato, gastar muito tempo pensando no look. Para isso, bastam algumas ferramentas de styling. É lógico que a ajuda de um consultor de imagem profissional será valiosa nesse momento, o que não significa que você não possa aprender alguns truques sozinho.

Em busca do #aerolook perfeito

Bem, pra começo de conversa, a perfeição pode ser discutível; afinal de contas, o que é perfeito pra mim pode não ser perfeito pra você por diversos motivos.

Entretanto, podemos pensar em algumas linhas gerais que ajudam a montar um #aerolook elegante & confortável – afinal de contas, é sempre bom vestir-se com elegância e conforto.

572d4a70-1f38-49af-91b0-f594f23dd652
meu #aerolook voltando do Rio agora em maio

Quando eu penso em #aerolook, penso em confortáveis camadas de roupa, preferencialmente em cores escuras. Já aconteceu de cair bebida, molho e comida nas minhas roupas em vários aviões e aeroportos desse mundo, e roupas de cores escuras escondem melhor esse tipo de acidente, uma vez que a próxima oportunidade de tomar um banho e trocar-se ainda pode estar a horas de distância.

Ao vestir-se para um vôo, as camadas de roupa são úteis porque podemos enfrentar diferentes temperaturas desde a hora que saímos de casa ou do hotel até o momento de chegar ao destino. No verão, por exemplo, eu geralmente viajo de t-shirt de manga curta, com um casaco quentinho sempre à mão. Se o destino for de inverno, o casaco mais pesado já vai na mão/corpo, economizando espaço na mala. Eu lembro de uma época em que o Galeão estava sem ar condicionado funcionando na área de embarque internacional, eu estava levando grupo pra Orlando em janeiro (ou seja, inverno nos EUA), e o único jeito de sobreviver ao calor do Rio em pleno verão foi tirando os casacos e cachecóis até a hora de entrar no avião.

Captura de Tela 2019-06-18 às 17.42.13
óculos escuros + casaco quentinho + tricô + calça de moletom + all star

Eu SEMPRE viajo de calça porque, além de ser friorenta, acho que as calças nos dão mais liberdade de movimento nesse lugar desconfortável que é o avião. Entretanto, eu particularmente não gosto de viajar de calça jeans; prefiro calças de moletom (tenho sempre uma ou duas calças de moletom pretas da Hering novinhas em casa!), ou de tencel, ou outros tecidos molinhos e quentinhos. E eu sempre carrego uma echarpe/cachecol dentro da bolsa, que eu consiga pegar fácil e rapidamente, que faz as vezes de manta quando o ar condicionado do avião está gelado demais.

Roupas muito apertadas não são amigas de longos vôos, porque nós costumamos inchar enquanto voamos. Quando inchamos, roupas apertadas não só incomodam como também atrapalham a circulação – que já sofre nas alturas. Para garantir o bem-estar do nosso corpo, outra boa dica é escolher tecidos respiráveis (alô fibra natural!) que, além de garantirem o conforto, reduzem as chances de odores indesejados e são mais elegantes. E, falando em elegância, as roupas apertadas não só são menos práticas como também são escolhas menos elegantes.

Saltos altos não tem espaço na minha vida por conta de uma dor crônica que eu tenho no tornozelo direito, mas mesmo pra quem pode andar de salto eu não recomendo essa escolha para encarar aeroportos e aviões. Nos aeroportos, a gente nunca sabe o quanto vai andar, ou quanto tempo vai ficar em pé, e nem mesmo se vai conseguir um carrinho para empurrar as malas. Para viajar, é preferível usar tênis, ou então optar por sapatilhas. Se você for sair do avião direto pra um compromisso profissional e você queira muito usar salto, recomendo ir de sapatilha e levar o salto na bolsa.

Outro item indispensável num #aerolook é um bom par de óculos escuros. Além de proteger do sol, inclusive nas alturas durante os vôos diurnos, pode esconder as olheiras depois de uma noite mal dormida (ou nada dormida).

Captura de Tela 2019-06-18 às 17.39.50.png

Particularmente, eu não gosto de viajar de mochila, porque me cansa muito mais rápido; já que eu tenho MUITA dificuldade de dormir em avião, eu tento salvar toda a energia que eu puder guardar nessa “rotina de aeroporto”. Isso não significa que eu não viaje de mochila, pelo contrário, tem acontecido até com frequência ultimamente. Mas o jeitinho que eu mais gosto de carregar minhas coisinhas na bagagem de mão é numa mala de rodinhas (preferencialmente daquelas que giram 360˚) com uma bolsa Longchamp Le Pliage, que vai embaixo do banco da frente. Eu sou MUITO FÃ do modelo Le Pliage da Longchamp, tenho de várias cores e tamanhos porque eu uso MUITO; eu confesso que fico até meio perdida quando viajo sem uma delas!

Para os homens, o  #aerolook também deve seguir a máxima do conforto + elegância, e a dica das cores escuras nas roupas também tá valendo. Carregar seus itens pessoais numa bela mochila de couro pode elevar seu look, e também não esqueça seus óculos escuros.

Elevar seu estilo não tem nada a ver com dinheiro

Ter estilo não está diretamente relacionado à grana que você tem no banco ou quanto gasta no seu guarda-roupa. Para encontrar seu estilo pessoal, você não precisa gastar um tostão; aliás, acho que a maneira mais eficaz de encontrar seu estilo pessoal e estabelecer diretrizes mentais que poderão guiar suas futuras compras é no seu próprio armário, encarando-o como se fosse uma loja, pensando se, hoje, eu compraria tal peça ou não.

Se você já passou por essa etapa, ou se está se preparando para fazê-lo (afinal, às vezes, é preciso uma boa dose de coragem pra fazer uma limpa honesta no guarda-roupa), e gostaria de elevar seu estilo, aqui vão quatro dicas práticas para fazê-lo.

Preste atenção às proporções do seu corpo em relação a sua roupa

Todos os corpos são lindos e temos liberdade total para nos vestir da maneira que bem entendemos. Mas é bom lembrar sempre que há algumas proporções que nos deixam mais elegantes do que outras. Por exemplo: uma saia midi será sempre mais elegante do que uma saia acima do joelho; uma bermuda no estilo mom jeans será uma alternativa mais elegante a um short curto para encarar o calor; e, em geral, cintura alta é mais elegante do que cintura baixa. No caso dos rapazes, uma bermuda lisa com corte de alfaiataria e sem muitos bolsos, por exemplo, é uma alternativa mais elegante do que um short ou bermuda estampada e/ou muito larga.

Proporção também é importante quando pensamos em bolsas e acessórios: uma bolsa muito grande para uma pessoa pequena pode ficar muito desproporcional; brincos, colares e/ou pulseiras muito grandes podem achatar a silhueta de uma pessoa; cintura marcada num lugar errado pode arruinar a imagem que você quer transmitir pro mundo.

Opte por tecidos de fibra natural

Olha eu defendendo a fibra natural de novo. Eu realmente faço o que eu digo, e acho que já contei por aqui que nem tiro uma peça de roupa da arara de uma loja antes de olhar a etiqueta de composição. Acontece que peças de roupa fabricadas com tecidos de fibra natural costumam ser bem mais elegantes, com um caimento melhor no corpo, abraçando cada parte do nosso ser com delicadeza. Além disso, costumam ser mais frescas pro verão e aquecer de verdade no inverno – tricô de acrílico num inverno hard, por exemplo, vai fazer qualquer um passar frio.

Para comprar roupas de fibra natural, não é preciso gastar uma fortuna – hoje, é possível encontrar muitas peças interessantes em lojas para os mais diversos bolsos. E, mais uma vez, antes de pensar em gastar mais dinheiro com roupas, o primeiro passo deve ser sempre olhar o seu próprio armário, observar quais são as matérias-primas com que suas roupas foram feitas, e quais delas são as suas favoritas – isso vai ajudar muito na construção do seu estilo.

Equilibre as proporções das suas roupas

Essa é uma dica simples, mas podemos nos esquecer facilmente dela seja porquê motivo for: um look será sempre mais elegante se não somar decote + saia/short, calça muito apertada + blusa muito apertada, etc. Se você gosta de um decote mais generoso, o ideal é equilibrar com uma saia midi mais solta/rodada; se sua paixão é calça skinny, opte por combinar com t-shirt mais soltinha, ou mesmo uma regata de seda mais solta. Pensemos assim: se em algum lugar aperta ou mostra demais, do outro lado a gente “esconde” um pouquinho mais.

Para os homens, a proporção também é muito importante, principalmente quando pensamos em ternos! Ternos de herança americana, por exemplo, sempre deixarão os homens com proporções menos elegantes e até menos agradáveis aos olhos, porque são muito largos.

Menos moda, mais estilo

Por fim, lembremo-nos mais uma vez que de a moda passa, e o estilo permanece. A moda pode nos fazer gastar muito dinheiro com coisas das quais não precisamos verdadeiramente. Conhecendo nosso estilo e fazendo escolhas acertadas na hora de nos vestir, podemos adicionar pontualmente uma ou outra peça de roupa ao armário para atualizá-lo sem quebrar o banco, com peças atemporais e de qualidade para durar muitas temporadas.

Os looks da première de Crimes of Grindelwald em Londres

Se ontem teve blue carpet em Londres, é claro que hoje tinha que ter análise por aqui – não só outros integrantes do elenco (e também velhos conhecidos dos filmes da série Harry Potter!) participaram da première londrina, mas também vários dos atores parecem ter lido meu post sobre a première francesa para escolher seus looks de ontem! Brincadeiras a parte, deu pra perceber que muitos corrigiram importantes “erros” cometidos em Paris.

6143634-6385635-image-a-348_1542140799441.jpg

Vamos de novo começar por J. K. Rowling, porque se não for pra começar pela rainha, a gente nem analisa! Afinal, se não fosse por ela, nem ia ter blue carpet pra analisarmos os looks!

6139622-6385635-image-a-113_1542133934984.jpg

Tia Jô foi combinando com o blue carpet ao escolher um vestido azul em crepe. Eu amo roupa de crepe, acho esse tecido chique até não poder mais, e acho que a textura leve combinou muito com a ocasião. Azul marinho é o neutro mais democrático de todos e, no caso de Rowling, foi certeiro ao ser repetido nos acessórios.

gettyimages-1061228894-1024x1024

Tia Jô nem é gente, é anjo! Reparem só como os olhos da rainha brilham. Lindíssima! Agora imagina tia Jô com esse vestido numa versão verde? Divina.

6139102-0-image-m-32_1542131737523.jpg

Eddie Redmayne (Newt Scamander) foi novamente acompanhado de sua esposa Hannah Bagshawe, que estava um deslumbre com este vestido Alexander McQueen, integrante da coleção de pré-outono de 2015. A golinha alta, as mangas compridas e a renda belíssima deixaram Hannah impecável, e eu amei MUITO o cabelo solto, achei que valorizou muito a beleza natural dela.

 

Agora vamos parar um minuto para analisar os detalhes do look do Eddie, que estava maravilhoso. Primeiro, esse costume vinho de abotoação dupla ficou um desbunde, tá tudo equilibrado e eu achei que a cor ressaltou as sardinhas do nosso querido Newt. O relógio foi o toque final de um look perfeito, a correia era quase da cor do costume, criou-se uma harmonia ímpar. Nota 10 pro truque de styling da gravata preta combinando com os botões pretos do costume e o sapato preto.

6140934-6385635-image-m-187_1542135471350

Johnny Depp, como eu estava ansiosa pra te ver nesse blue carpet! Eu sou super fã dele desde os meus 12 anos, e eu fiquei muito muito muito feliz quando ele surgiu como Gellert Grindelwald no final de Fantastic Beasts and Where to Find Them. Depp está acostumado com grandes premières, mas ontem achei que ele estava visivelmente emocionado em ser acolhido pelo fandom do Wizarding World de uma maneira tão calorosa (melhor fandom, né, mores).

6141864-6385635-image-a-251_1542136960257.jpg

Eu amo o estilo do Johnny Depp, essa coisa meio rockstar meets Captain Jack Sparrow, e achei o styling certeiro ao escolher esse blazer de suede (olha a importância da textura aí, gente) com o mix de colares fazendo as vezes de gravata. Em um dos colares, acho que vi a foto da filha de Depp quando era criança, achei fofo. Eu tenho 99% de certeza de que a cartela do Johnny é inverno profundo, o que explica ele ficar tão bem de preto e com acessórios prateados. Reparem que Depp ainda está com o corte de cabelo que adotou para Grindelwald, e eu fico cada vez mais ansiosa pra ver o que mais ele trouxe pro personagem de maneira brilhante.

 

Podia ser só um momento para apreciação da amizade e abraçoes entre Dumbledore e Grindelwald, mas quero mesmo que vocês reparem em duas coisas:

  1. notem os acessórios escolhidos por Depp e Jude Law. Depp tem um acessório azul pendurado na calça, que parece um chaveiro displicentemente colocado no bolso mas que eu tenho certeza de que estava ali cumprindo uma função de styling. Por sua vez, Law escolheu um chapéu fedora marrom para arrematar seu look.
  2. tanto Depp quanto Law optaram pela “terceira peça” com textura diferente, o que é um super truque de styling que não requer muito esforço.

img_5655
“You know, Minister, I disagree with Dumbledore on many counts… but you cannot deny he’s got style …” – Phineas Nigellus Black

Então vamos falar dele, Jude Law, que ganhou o prêmio do meu look preferido na première de Paris e não decepcionou em Londres. Já reparamos na textura da jaqueta, e agora vamos focar na cor: beringela. Escolher uma jaqueta beringela foi um ótimo truque pra fugir do preto porque, dependendo da luz, parece preto mas sem trazer o peso da cor para peles quentes. Adorei também a bainha da calça um pouquinho mais curta pra deixar aparecer um pedacinho da meia, é o tipo de truque de styling que dá mais personalidade ao look. De fato, Dumbledore tem muito estilo!

6139354-6385635-image-m-87_1542132914564.jpg

Ezra Miller (Credence Barebone) acertou em cheio ao vestir-se de Hedwig! Ezra é um espetáculo ambulante, e eu achei muito legal que ele usou as duas oportunidades de première para homenagear personagens do Wizarding World. O look é Givenchy, e nenhuma ave foi machucada para que essa roupa fosse feita (preocupação do ator). Reparem nas mãos de Ezra: além de uma pequena Hedwig, as palmas das mãos do ator tem escrito “Avada Kedavra”, uma das três maldições imperdoáveis. Ezra é muito fã de Harry Potter, já contou isso várias vezes, e vê-lo parte do Wizarding World é praticamente uma realização do sonho de todo Potterhead.

6143658-6385635-image-a-331_1542140523665.jpg

Quem brilhou muito foi Katherine Waterston (Tina Goldstein): além de escolher uma cor que foi super adequada para seu tom de pele, a atriz revelou sua gravidez! Talvez por isso ela tenha escolhido aquele vestido volumoso para a première de Paris, querendo deixar a surpresa para ser revelada só na última première! Esse vestido amarelo foi lindo, e na transmissão deu pra ver que ela também estava com um trench coat verde bem escuro pra não sentir frio.

 

Zoë Isabella Kravitz (Leta Lestrange) foi de Giorgio Armani fúcsia brilhante (pequenas lantejoulas, de novo), custom-made. O look estava muito glamuroso, bem diva de Hollywood e, o melhor de tudo, não parecia estar sufocando o busto da atriz. Adorei o brinco verde, adoro verde e rosa, viva a Mangueira!

 

Callum Turner (Theseus Scamander) foi de novo correto, mas acho que gostei mais deste costume do que daquele que o ator usou em Paris – talvez seja o bolso duplo, mais característico da tradição britânica, acho elegante. Se eu tivesse que chutar, me parece que Turner tem tom de pele frio; repare como os olhos dele brilham mesmo de camisa branco puro e terno preto!

 

William Nadylan (Yusuf Kama) parece que leu meu post analisando os looks de Paris! Gentes, isso é que é look com interessância pro red blue carpet! Não teve tweed como eu tinha sugerido, mas teve textura de sobra, e muita personalidade. Ele até me pareceu mais feliz, e podem ter certeza de que os nossos outfits influenciam e muito na maneira como nós nos sentimos e expressamos.

 

Lembram que eu disse que a Alison Sudol (Queenie Goldstein) fica muito bem de branco? Olha ela toda maravilhosa com esse MiuMiu longo branco de detalhes prateados! É outra que parece um anjo! Amei o cabelo meio bagunçadinho, com essas ondas quase cariocas de quem foi pra praia e deixou o cabelo secar naturalmente. A make quase nada também valoriza a beleza natural de Alison. Perfeição!

IMG_5658.JPG

Claudia Kim (Nagini) acertou de novo no look, com mais um pretinho nada básico e muito perfeito, by Christian Siriano. O que eu realmente quero comentar é a perfeição do único acessório escolhido pela atriz:

gettyimages-1067081716-1024x1024.jpg

um brinco que parece uma presa! De acordo com minhas investigações, o brinco é Shaun Leane. Tem também um anelzinho bem discreto, mas fato é que com um vestido desses não precisava mesmo de muita coisa, e a escolha do styling de usar o brinco só numa orelha, e ainda com uma forma que faz referência a sua personagem na história, foi truque de mestre!

 

Dan Fogler (Jacob Kowalski) foi certamente o maior upgrade da noite se compararmos os looks das duas premières. Olha que coisa mais linda mais cheia de graça! Estava elegantíssimo com um tux que alongou a silhueta. Não tem nem muito mais o que falar, look perfeito, parabéns pela escolha, nota mil pro rei do Brasil!

6140938-6385635-image-a-236_1542136754291.jpg

Jamie Campbell Bower (jovem Grindelwald) já é velho conhecido do fandom do Wizarding World porque ele já tinha assumido o papel do jovem Grindelwald no filme Harry Potter and the Deathly Hallows pt1! Muito legal vê-lo de volta ao papel, e cruzando o blue carpet com o truque de styling da camisa abotoada até em cima e sem gravata; ficou jovem, moderno e super elegante.

gettyimages-1067216836-1024x1024.jpg

Outro velho conhecido do fandom é Jason Isaacs! O ator, que desempenhava o papel de Lucius Malfoy nos filmes da série Harry Potter, é fã confesso do Wizarding World e eu fiquei super feliz de vê-lo prestigiando o lançamento de Crimes of Grindelwald. Sobre o look, tá meio desarrumado, né? Como ele não faz parte do elenco, de fato não precisava ir de smoking nem nada assim, mas podia ter rolado um pouquinho mais de esforço. Pra não dizer que não falei de flores, o acerto fica por conta da escolha da cor da jaqueta, que repete o tom de azul dos olhos de Isaacs.

6141840-6385635-image-m-249_1542136945982.jpg

Helena Bonham Carter (Bellatrix Lestrange) também compareceu à première londrina para deleite dos potterheads! Infelizmente essa foi a única foto que achei da atriz no blue carpet, mas dá pra ver que ela se manteve fiel ao seu estilo ao escolher um look meio grunge chic, com botas pesadas, tule e renda. Helena é muito amiga de Johnny Depp e achei fofo ela ter ido prestigiar o amigo que agora também faz parte do Wizardig World.

Desde a noite de ontem, o filme Fantastic Beasts: Crimes of Grindelwald está em exibição em algumas (muitas) salas do Brasil em caráter de pré-estreia. Se no Brasil eu ainda morasse, já teria visto o filme! Mas aqui na Armênia o filme só começa a ser exibido amanhã mesmo, então se Deus quiser amanhã estaremos lá no cinema pra matar a curiosidade e acabar com a ansiedade!

Midi, o comprimento mais chique

Que me perdoem os curtos e os longos, mas o midi é o comprimento mais chique para os nossos looks! Se o tecido tiver um belo caimento, o visual sofisticado está garantido, mesmo que façamos escolhas simples e práticas! Quer ver?

img_1775
chapéu Parfois, t-shirt Zara, óculos Ray Ban, saia Forever 21, tênis Converse All Star (e mochila Fjällräven Kånken)

No último final de semana, fizemos uma road trip até Tbilisi, a capital da Geórgia. Mais do que aplicar os conceitos da mala inteligente, eu realmente não queria levar muita coisa pra um final de semana rapidinho de verão! Então advinha qual foi a peça chave que eu escolhi? Isso mesmo, uma saia midi!!

Essa saia midi azul marinho da Forever 21, que eu comprei há uns 3 anos, tem a cintura de elástico (= conforto!) e umas pregas bem suaves, que garantem o caimento perfeito do tricoline. E ela tem bolsos, que são sempre bem vindos em viagens!

img_1751
chapéu Parfois, óculos Ray Ban, t-shirt Alhma, bolsa Gucci, saia Forever 21, sandália Usaflex

Nessa outra foto, a mesma saia (e o mesmo chapéu) com outra t-shirt e outro sapato, num combo escolhido pra ficar super confortável no carro (a viagem entre Yerevan e Tbilisi dura cerca de 5h!!) e que ficou bastante adequado pra paradinha que fizemos no Lago Sevan.

 “Ah, mas midi é um comprimento ingrato! Nem todo mundo pode usar!”

Gentes, eu tenho 1,62m – ou seja, não sou exatamente alta! – e adoro usar saia midi! E minhas pernocas são bem roliças também. O comprimento midi definitivamente faz parte da minha vida, e se encaixa perfeitamente no meu estilo e no meu dia a dia. Para escolher o midi correto pra você, aqui estão algumas dicas interessantes, que independem do seu tipo físico:

  • escolha um comprimento que fique ligeiramente acima da metade da sua panturrilha;
  • opte por um tecido leve e com caimento perfeito, que não adicionará muito peso ao seu look. Nesse caso, é melhor evitar malhas! As malhas costumam ser mais pesadas e marcar tudo o que (geralmente) queremos esconder;
  • marque a sua cintura! Mesmo se você pensar que não tem uma cintura, ela existe, e está só esperando ser descoberta;
  • e escolha uma silhueta A, que costuma ficar bem em todo mundo e cria uma silhueta perfeita com muita elegância.

Ao escolher uma saia ou um vestido midi, você garante uma certa elegância sem precisar de muito esforço. O comprimento midi chama a atenção positivamente, mesmo sem muitos acessórios! É como se fosse um atalho para um look chique!

Pra vestir e amar o corpo que se tem

Já conversamos muito por aqui sobre as maneiras como a consultoria de imagem pode nos empoderar e garantir um olhar mais gentil com aquela pessoa que nos observa no espelho, e a importância de termos a autoestima bem trabalhada, mas esse é um assunto inesgotável e, por mais que eu tente a cada dia melhorar a minha autoimagem, sempre há o que superar.

Estamos de férias no Brasil e passamos alguns dias em Brasília, e nos hospedamos no Brasília Palace Hotel. Estava um calor de matar e a piscina do hotel era convidativa. Mas e a coragem de colocar o corpo pra jogo, principalmente depois da comilança intensa desde o dia que cheguei ao Brasil?

Em pouco mais de 2 semanas em terras brasilis, eu acho que já engordei uns 3 quilos. Estou me permitindo comer tudo o que eu amo e sinto falta quando estamos na Armênia. Minha barriga está demonstrando isso pra quem quiser ver. Mas eu vesti o maiô e fui pra piscina mesmo assim, sem vergonha nem medo de aproveitar o sol.

E não foi só isso: eu tirei fotos de maiô relaxando à beira da piscina, e ainda tive coragem de postar no Instagram. Sim, coragem. Porque é claro que é preciso coragem pra expor a celulite, a pança proeminente, o bracinho gorducho e as pernas roliças na rede social sem nenhum retoque.

Mas a coragem maior é a aceitação diária do corpo que se tem, e amar incondicionalmente a pele onde se habita. Quanto mais eu respeito o meu corpo e me visto de acordo com as minhas medidas e proporções, mais autêntica é a imagem que eu transmito pro mundo, e mais confiança eu sinto. Da próxima vez que você for se vestir e se olhar no espelho, que tal tentar isso também?

Roupas não-óbvias para trabalhar

Escolher os looks para trabalhar nem sempre é uma tarefa fácil. Na verdade, pode ser bem mais difícil escolher e construir um armário de trabalho do que o seu armário de roupas casuais, dependendo do seu estilo! E é aí que o consultor de imagem pode ajudar – e muito -, traduzindo o seu estilo pessoal para o seu armário de roupas de trabalho, encontrando, junto com você, um jeito de traduzir a sua personalidade para os looks do seu dia a dia profissional. Eu sou fã da alfaiataria da Zara (excelente custo/benefício), e escolhi algumas peças/looks que podem ser encontradas nas lojas para ilustrar esse post.

super formal X formal X informal
super formal X formal X informal: qual é o seu ambiente de trabalho?

Cada ambiente de trabalho requer um código de vestimenta; entretanto, independentemente do código de vestimenta do ambiente onde você trabalha, a roupa de trabalho tem características próprias, que devem evidenciar, ao mesmo tempo e de modo coerente, a sua personalidade e o lugar onde você trabalha. Seja num ambiente de trabalho super formal ou super informal, eu recomendaria sempre fugir de peças muito sensuais, dedinhos de fora, decotes profundos e jeans rasgados. Num mundo cada vez mais conectado e interligado, nós nunca sabemos quando vai surgir uma reunião super importante no meio do dia, que pode até mesmo ser com alguém de um outro universo de trabalho – e você certamente quer que sua imagem seja sempre o mais profissional possível.

Se o seu trabalho é super formal, será bem difícil que os homens consigam fugir do terno e que as mulheres tenham muitas alternativas ao tailleur – afinal, nestes ambientes muito formais, o que se espera é uma aparência mais convencional e séria, traduzindo eficiência e inspirando segurança. Neste caso, já que é praticamente impossível fugir da alfaiataria, de cores mais neutras, das saias na altura do joelho, de decotes mais fechados, e das calças confortáveis e não tão justas, é ainda mais importante prestar atenção na etiqueta de composição das peças, priorizando sempre tecidos de fibra natural, que esquentam menos e deixam a pele respirar com maior facilidade, ou a viscose, e evitando ao máximo o poliéster, o nylon e o acrílico.

Acho que é mesmo nos ambientes mais formais de trabalho que os tecidos e texturas diferentes ganham mais importância, pois poderão adicionar personalidade ao seu look e fazer com que o seu armário diário passe longe da chatice! Tailleurs de linho usados com uma bela camiseta de seda podem ser uma ótima solução para dias muito quentes, ao passo que um tailleur de veludo cotelê será quentinho o suficiente pro inverno e nada óbvio, com uma bela camisa de algodão. É possível incorporar as tendências nesse armário ultra formal: o xadrez (principalmente o Príncipe de Gales) está (e ainda continuará por mais um bom tempo) SUPER em alta. Estampas muito tradicionais podem ser facilmente adotadas nestes ambientes formais de trabalho sem chamar muita atenção.

Se o seu ambiente de trabalho é um pouco menos formal (o que não significa mostrar a barriga, usar saias muito curtas ou muito justas), você tem um pouco mais de espaço de manobra pra se vestir. As cores já começam a ter um pouco mais de chance, e estampas clássicas podem fazer parte do seu look. Neste ambiente de trabalho, o comprimento midi (que é um comprimento da moda) pode ser usado: saias midi ficam ótimas com sapatilhas e, se for rodadinha, não vai grudar no corpo. Eu adoro usar saia midi com t-shirt de algodão no verão: fica bem fresquinho e “arrumadinha sem esforço”, sabe? E dá espaço pra colocar um colar mais comprido (efeito alongador da silhueta!) sem deixar o visual com informações demais. Um look de saia midi com camisa também fica muito chique. Já no inverno, acho que as saias um pouco acima do joelho, em tweed, combinadas com seus blazers, também tem vez – principalmente se usadas com meia calça preta.

Mas se o seu ambiente de trabalho é super informal (por exemplo, no meio artístico ou criativo), o código de vestimento é o mais desencanado, ousado e criativo possível – o que não significa vulgar. Então, mesmo nesses ambientes bem informais, é bom ficar longe de looks que você usaria numa noitada, que sejam muito sensuais, ou que você usaria na academia. Pra quem trabalha nessas áreas criativas, eu recomendaria abusar das estampas e peças em jacquard, e aproveitar pra usar acessórios mais chamativos, mas buscando sempre uma coerência no look – afinal, você não sabe com quem vai encontrar e se relacionar ao longo do dia!

Quanto aos sapatos, o styling dessas fotos não ajudou muito… mas pensemos em scarpins ou sapatilhas sem decotes muito evidentes. Botas baixas ou com salto médio, sem muitos detalhes e/ou ferragens exóticas, também tem sua vez. Em geral, os sapatos que circulam nos ambientes de trabalho não devem ter saltos muito altos nem finos.

E, ao pensarmos no universo das bolsas, livre-se do compromisso de combinar bolsa com o sapato – essa dobradinha não tem mais nada a ver! A bolsa e o sapato devem conversar, mas não precisam ser iguais, da mesma cor ou material.

O armário de trabalho não deve ser muito conservador, já que poderia passar uma imagem de desatualizado, mas também não deve adotar todas as últimas tendências da moda porque, nesse caso, a imagem transmitida pode ser de futilidade. Como sempre, o ideal é ter equilíbrio!