Black Friday e o seu armário

Promoção: quem não gosta? Tão bom pagar menos do que o preço regular indicado nas etiquetas, não é? No início do ano, fiz um post com 10 dicas para fazer compras inteligentes nas liquidações, e hoje quero conversar um pouquinho sobre nossos armários e a black friday. Afinal de contas, o que vale mesmo a pena?

BLACK FRIDAY.jpg

Bem, como tudo na vida, cada um sabe bem onde o seu calo aperta, quais as suas necessidades e quais os seus limites. Particularmente, desde que eu comecei a olhar pro meu armário com mais cuidado e a enxergar mais potencial em cada peça que eu tenho, eu não tenho tido impulsos loucos de comprar coisas que eu realmente não necessito. Nós somos bombardeados o tempo inteiro com propagandas que criam em nós falsas necessidades e, quanto mais conectados ficarmos com nossos armários, quanto mais cientes estivermos das cores e formas que nos favorecem (ou que mais gostamos), essas falsas necessidades terão menos efeito sobre nós.

Aproveitar a Black Friday (ou qualquer promoção verdadeiramente boa) pra comprar uma coisa que se ama e que se tem certeza de que vai usar muito é um super negócio.  Naturalmente, temos que ficar atentos às promoções fajutas, do tipo “pague a metade do dobro”. Ano passado, por exemplo, eu estava em Londres na Black Friday, e consegui comprar uma bota da UGG que já estava na minha wishlist com 40% de desconto. Como eu sinto muito frio nos pés, e atualmente moro num lugar onde o inverno é rigoroso, pra mim fez todo sentido essa compra, e eu economizei boas libras por conta do desconto.

O melhor a se fazer, nesta época e também antes de qualquer compra, é avaliar o seu acervo de peças, notar se falta alguma coisa que vá realmente fazer diferença quando você for vestir-se, e fazer a conta do custo x benefício. Por exemplo:

  • peças de fibra natural, que geralmente custam mais;
  • peças básicas e/ou curingas (atenção: curingas pra você, e não que os outros dizem ser) que ajudem a multiplicar os usos das peças que você já tem;
  • roupas para ocasiões especiais, e aí entra de novo a necessidade de relativizar o que é ocasião especial para você: pode ser festa, pode ser ir à praia, pode ser até um tailleur caso seu guarda-roupa de trabalho seja mais informal;
  • acessórios, que ajudam a compor e até mesmo modificar os looks;
  • sapatos confortáveis e de boa qualidade;
  • peças de marcas que admiramos e que nem sempre entram no orçamento, mas que tem tudo a ver com o nosso estilo.

Também é uma boa aproveitar esse tipo de promoção pra repor ou renovar o enxoval – afinal, lençóis e roupas de banho costumam ficar no armário também, né? Muitas lojas especializadas em artigos para a casa também reduzem significativamente o preços quando é época de promoção, então vale a pena ficar de olho e, depois de avaliar o que já se tem, buscar nos preços mais baixos boas opções para suprir as necessidades.

Não custa lembrar da importância de estar sempre ciente sobre as políticas de troca de cada loja, principalmente em períodos de promoção, antes de fechar a compra. Afinal de contas, não há compra pior do que aquela da qual a gente se arrepende e ainda fica privado da possibilidade de troca ou devolução.

O consumo consciente é resultado da nossa calma e clareza para avaliar se as nossas escolhas estão sendo guiadas por necessidades reais, ou se estamos deixando nos levar pela excitação generalizada!

10 dicas para fazer compras inteligentes nas liquidações

Começou o ano e é tradicional que em janeiro as lojas estampem suas vitrines com enormes letreiros indicando a época das liquidações!

sale post

Eu acho que a época de liquidação é perfeita para aproveitar os descontos e fazer boas compras: aquele vestido de festa maravilhoso com o qual você passou meses sonhando, uma boa bolsa ou um bom sapato, um acessório que faça a diferença no seu armário. É o tipo de compra que eu chamo de “investimento”, priorizando peças de qualidade superior e que vão durar muitas estações.

Ao mesmo tempo, o calendário absolutamente louco da moda favorece a compra de itens da estação para uso imediato: no verão, as roupas frescas, como shorts, camisetas, biquínis, etc; no inverno, casacos, cachecóis, etc.

Tendo sempre em mente o mantra de que “a moda passa, o estilo permanece”, eis as minhas dicas para fazer compras inteligentes e consumir com consciência na época das liquidações.

1- Arrume o seu armário

É isso mesmo: o primeiro passo para uma compra inteligente é (re)organizar o closet, para verificar o que se tem, o que está faltando, e o que precisa ser substituído. Anote tudo o que falta e precisa de substituição, e leve a listinha com você.

2- Entenda o que é moda, o que é tendência e o que é estilo

Um pouquinho de informação na hora de fazer compras pode fazer muita diferença. É claro a ajuda de um personal stylist é muito valiosa, mas, se você se interessa pelo que se veste, é bom procurar se informar para que seja mais fácil distinguir o que é moda do que é estilo – e o estilo é eterno. Como nada no mundo é imutável, há também os casos de modismos que permanecem, deixando de ser modismos, a exemplo do militarismo.

3- Vá às compras com calma

A pressa é a maior inimiga das compras. E não é só porque uma peça está barata que você precisa comprá-la. Pense bem se aquele item vai fazer diferença no seu armário, se ele se a peça se encaixa no seu estilo pessoal se você vai usá-la de verdade, e verifique se  está tudo em perfeito estado. Antes de finalizar a compra, confira a política de troca da loja; alguns lugares mudam as políticas de troca em períodos de liquidação, então é sempre bom confirmar mesmo naquela loja que você está super habituado a frequentar. Isso é ainda mais importante em casos de presentes: ganhar ou dar um presente que não pode ser trocado é muito deselegante.

4- Leia a etiqueta interna de todas as peças com atenção

A etiqueta interna de cada peça é como se fosse um manual de instruções: ela te diz de que é feito (composição do tecido) e quais os cuidados para manutenção daquele item. Uma peça que precisa ser sempre lavada à seco, por exemplo, acaba tendo seu valor aumentado por conta deste custo de manutenção.

5- Opte (sempre) por tecidos de fibra natural

Quero dedicar um post exclusivamente sobre esse assunto, mas já fica a dica: quando estiver comprando, procure sempre peças de tecidos de fibra natural. Algodão, linho, lyocel e seda são os melhores amigos de quem mora em climas quentes e de quem gosta de praticidade. Além do caimento dos tecidos de fibras naturais ser melhor, estas peças tendem a durar mais se forem tratadas do jeito certo (de novo, as informações estão todas nas etiquetas internas) e dificilmente encolhem.

6- Invista em uma roupa de festa

Foi-se o tempo em que era deselegante repetir roupa de festa. Estas peças já são naturalmente mais caras e, mesmo em liquidações, podem mostrar preços altos nas suas etiquetas. Mas é certamente melhor pagar o preço da liquidação do que o preço cheio, né? Então, se você quer atualizar suas opções festivas/formais, aproveite para comprar um longo ou um curto (ou os dois, se a conta bancária permitir!) que sejam atemporais e  que você poderá usar em muitas ocasiões depois.

7- Evite os modismos…

Eu recomendaria evitar os modismos porque as modas passam e uma peça datada certamente não vai durar muito tempo no seu armário. Não é melhor guardar esse dinheiro pra outra coisa que dure mais na sua vida?

8-… mas permita-se uma extravagância

Relativizando o item anterior: se você está doido para usar uma determinada peça que você sabe que não vai durar muito mais do que esta estação, é preferível pagar por ela com desconto do que o preço cheio. Como já conversamos, o calendário das liquidações é louco o suficiente pra permitir que compremos uma tendência com desconto enquanto ainda está na moda. Se este for o caso, meu conselho é permitir-se a extravagância, mas, preferencialmente, depois que tiver suprido todas as necessidades mais permanentes do seu armário.

9- Invista naquela peça que faz o seu coração bater mais forte

Pode ser um vestido de couro, um casaco maravilhoso, uma bolsa atemporal, um sapato incrível, uma calça jeans com caimento perfeito, um short jeans que vai te acompanhar por muitos verões: você sabe qual é aquela peça com a qual você está sonhando há meses, ou até anos, e ela finalmente entrou na liquidação. Pode ser que, mesmo com desconto, seja uma peça cara mas, se a conta bancária permitir, e se ela vai mesmo fazer diferença no seu armário – e, porque não, na sua vida -, este é o momento de investir nela.

10- Tenha um orçamento

Em alguns dos itens anteriores eu destaquei o aspecto da conta bancária, e com motivo: liquidações não justificam entrar no vermelho. É muito importante fazer um orçamento para gastar nesse período, porque é muito fácil ceder à tentação, comprando desenfreadamente e acabar endividado. Seguindo estas dicas, e com um orçamento organizado, será mais fácil definir suas prioridades e fazer suas compras da maneira mais inteligente possível!

E, depois de tantas orientações, só me resta desejar boas compras!