O que Michael Jordan tem a ver com a moda?

Aqui em casa, assistimos no Netflix a série “Arremesso Final”, que conta um pouco da história do time de basquete da NBA Chicago Bulls até a temporada de 1997-98. Não, você não tá no blog errado. É que eu quero trazer pra cá a reflexão sobre como um super atleta – um dos maiores da NBA – influenciou a moda. Ou melhor, ainda influencia!

Michael Jordan é um daqueles casos especiais, que aparecem de tempos em tempos, que misturam um talento único com uma capacidade incrível de transformar em ouro tudo o que ele toca. Isso é particularmente verdade para os anos em que ele passou no Chicago Bulls, mesmo considerando o interregno em que ele se dedicou ao baseball.

No começo de 1984, Michael Jordan assinou contrato com a Nike, que então produziria o primeiro par de Air Jordan para ele, para que ele usasse nas quadras de basquete. No mesmo ano, o icônico tênis seria produzido também para venda ao público, e renderia milhares de dólares para a empresa que, até então, não tinha tanta força no mercado.

O protótipo para o Air Jordan I, Nike Air Ship, foi desenhado por Peter C. Moore nas cores vermelho e preto. Esta primeira versão foi banida pelo então comissário da NBA David Stern, porque o tênis não tinha branco suficiente (conhecida como “regra dos 51%”, em tradução livre). Depois que o Nike Air Ship foi banido, Michael Jordan e Nike introduziram o Jordan I em cores com mais branco, como os modelos “Chicago” e “Black Toe”. A Nike foi esperta em usar o banimento do Nike Air Ship como ferramenta de promoção do tênis em seus anúncios, insinuando que os sapatos dariam uma vantagem competitiva desleal. O Air Jordan I foi originalmente comercializado entre 1985 e 1986, com relançamentos (conhecidos como “retrôs”) em 1994, 2001-2004, e a partir de 2007.

O sucesso (diga-se de passagem, inesperado) do Air Jordan I encorajou a Nike a lançar um novo Air Jordan em 1986 para a nova temporada de basquete. Desenhado por Peter Moore e Bruce Kilgore, o Air Jordan II original era único, no sentido de que era produzido na Itália. Esse modelo introduziu um melhor amortecimento, com uma entressola de poliuretano e uma bolha de ar Nike encapsulada em comprimento total para o máximo conforto; o Air Jordan II foi o primeiro Jordan a não ter o Nike swoosh na parte superior. Esse modelo foi originalmente vendido por USD100, comercializado entre 1986 e 1987. Mais tarde, foi relançado em 1994, 2004-2005, 2008, 2010, e entre 2014 e 2018.

O Air Jordan III foi desenhado em 1988 por Tinker Hatfield, que trabalha para a Nike como designer de lojas e escritórios. Na época, Michael Jordan estava pronto para deixar a Nike, mas o Jordan III fez com que ele mudasse de ideia: era o primeiro Air Jordan a ter uma unidade de ar visível no calcanhar, o novo logo “Jumpman”, uma estampa de elefante e couro trabalhado para dar uma aparência de luxo. O Air Jordan III ficou famoso pelos seus anúncios bem humorados que traziam o diretor Spike Lee como Mars Blackmon, o personagem que ele fez em seu filme She’s Gotta Have It. Essa campanha ficou conhecida como “Mars and Mike”, e foi uma das campanhas mais bem sucedidas na história da Nike. O Air Jordan III também foi o primeiro modelo da linha a ter o logo “Nike Air” na parte de trás. Em 2007, Jordan Brand colaborou com o diretor Spike Lee para lançar uma edição limitada de Air Jordan III com uma cartela de cores pautada no poster azul-e-amarelo do filme Do the Right Thing. Dois anos depois, a Jordan Brand reintroduziu o Air Jordan III na paleta True Blue, num lançamento internacional que deixou os EUA de fora. Em 2011, a marca lançou o Black History Month Air Jordan III, com uma paleta de cores que celebrava os 35 anos do Mês da História Preta. Outros modelos foram lançados no mesmo ano. Em 2013, Jordan lançou uma edição especial do Jordan III, conhecido como “Air Jordan III Retro ’88”. Em 15 de fevereiro de 2020, foi lançada a versão mais recente, Air Jordan III SE Red Cement, em comemoração a Chicago como cidade anfitriã do 2020 NBA All-Star Game. A marca também lançou uma versão exclusiva de paleta de cores para Chicago. Desde 1994, foram vários os lançamentos de Air Jordan III, a saber: 2001, 2007, 2009, 2011, 2013, 2014, e entre 2016 e 2020.

Em 1989, a Nike lançou o Air Jordan IV, com design de Tinker Hatfield. Este foi o primeiro Air Jordan a ser lançado no mercado global, com quatro paletas de cores: preto/branco, preto/cinza, branco/fogo vermelho-preto, e off White/azul marinho. A Nike trouxe novamente Spike Lee para os comerciais, e Lee também colocou os Air Jordan IV no seu filme Do the Right Thing. Foi esse sapato que Michael Jordan usou quando fez “The Shot”, que foi uma jogada de basquete ocorrida durante um jogo de playoff da NBA entre o Chicago Bulls e o Cleveland Cavaliers em 1989. “The Shot” ocorreu durante o decisivo jogo 5 da série First Round da Conferência Leste, em Ohio. Cada um dos times tinha vencido dois jogos, ou seja, estavam empatados, e o Cavaliers liderava o jogo por um ponto. Faltando três segundos para o final do 5º jogo, Michael Jordan recebeu um passe inbound e fez um passe buzzer-beater que deu ao Bull uma vitória por 101-100, e a vitória da Conferência Leste. Somente nesse jogo, Michael Jordan fez 44 pontos, e The Shot é considerado um dos seus maiores momentos, e esse jogo é considerado um clássico. O Air Jordan IV foi relançado em 1999, 2000, 2004, 2006, 2008, entre 2010 e 2013, e entre 2015 e 2020, mais recentemente com o lançamento da paleta de cores “Black Cat” (um dos muitos apelidos de Jordan).

Além dos vários relançamentos destes modelos, ainda há os Air Jordan V, VI, VII, VIII, IX, X, XI, XII, XIII, XIV, XV, XVI, XVII, XVIII, XIX, XX, XXI, XXII (ou XX2), XX3, 2009, 2010, 2011, 2012, XX8, XX9, XXX, XXXI, XXXII, e XXXIII (o primeiro Air Jordan sem cadarço).

O Air Jordan V ficou muito popular porque Will Smith usou modelos da linha várias vezes na série “Um Maluco no Pedaço” (ou, no original, “The Fresh Prince of Bei-Air“), principalmente nas paletas de cores “Metallic Silver”, “Grape”, e “Fire Red”. Para homenagear ator e personagem, Jordan lançou o Air Jordan 5 Bel Air em 2013.

E, hoje, eu recebi um email da Dior anunciando o Air Dior. De acordo com o email, muito em breve, a tradicional Maison lançará a edição limitada Air Jordan 1 OG sneakers. A parceria entre Dior, Kim Dones e Jordan Brand resultou na edição limitada do tênis Air Jordan 1 High OG Dior, e uma coleção de roupas prêt-à-porter e acessórios completam a colaboração.

Contei essa história toda para exemplificar como um branding pessoal bem feito, numa época em que não se podia contar com os meios de divulgação que temos hoje e a globalização ainda era insipiente, transformou um sapato em um ícone de estilo, muito desejado por sinal. Na série “Arremesso Final”, é possível ver a história de que o tênis Air Jordan foi o primeiro item de vestimenta esportiva (sports wear) a transitar para o guarda-roupa que se veste no dia a dia, fora das quadras esportivas, muito por conta das suas aparições em filmes e seriados de TV. Até então, o uso de tênis era realmente muito limitado às atividades esportivas, e era algo impensável usar um tênis com vestido, por exemplo. Por tudo isso, pode-se dizer que hoje usamos tênis com basicamente qualquer peça de roupa graças ao Michael Jordan!

Os 7 estilos universais

A Consultoria de Imagem e Estilo é algo absolutamente individualizado, que respeita a premissa de que cada pessoa é única e que seu estilo será melhor projetado para o mundo na medida em que refletir verdadeiramente o que cada um é.

Isto posto, é inegável que todas as instituições de estudo tem uma ciência definitiva, e essa premissa também se aplica à moda. Na moda como ciência, foi criado o conceito de Estilos Universais. Existem sete estilos universais, e cada um tem seu conjunto de características principais e mensagens inerentes que enviam para o mundo ao nosso redor. De acordo com a teoria, cada um de nós se enquadra em pelo menos um estilo universal; há grande probabilidade de nos identificarmos com dois estilos universais, e o nosso estilo pode resultar, por vezes, de uma combinação de três estilos universais.

ESTILO ESPORTIVO/CASUAL

As pessoas com Estilo Esportivo costumam ser afáveis e casuais. Este estilo comunica uma mensagem amigável, energética, natural, casual, feliz e otimista. O estilo esportivo não deve ser confundido com “roupas para atividades desportivas”. Em geral, pessoas que são completamente ou majoritariamente esportivas no seu estilo costumam ser tranquilas, despretensiosas, valorizam um guarda-roupa fácil e, em geral, tem profissões que requerem relacionamento com o público.

Alguns elementos que ajudam a reconhecer o Estilo Esportivo são as roupas funcionais, semi-estruturadas, com cores e estampas neutras (por exemplo, listras e xadrez), em tecidos de fibra natural. O conforto é uma prioridade para quem se encaixa no Estilo Casual, combinado à praticidade, pensando em peças de fácil manutenção e que não amassam muito. Peças como o blazer são grandes aliadas das pessoas donas de um Estilo Esportivo/Casual porque imprimem um pouco mais de estrutura e seriedade ao look sem interferir no conforto.

Exemplos de marcas que produzem principalmente roupas de Estilo Esportivo: Banana Republic, GAP, J Crew, Polo, Old Navy, Timberland, Ann Taylor, Talbots, American Eagle Outfitters, Levi’s, Kate Spade, Lacoste, Hering, Farm.

ESTILO CLÁSSICO/TRADICIONAL

As pessoas com Estilo Tradicional costumam ser mais conservadoras e businesslike. Não confundir estilo tradicional com “caretice”. Por meio deste estilo, comunicam-se mensagens de confiança e lealdade, precisão, credibilidade, respeito, maturidade, responsabilidade, organização e honestidade. De modo geral, as pessoas que se encaixam neste estilo costumam trabalhar na área da educação ou nas áreas financeira, governamental, administrativa.

O Estilo Tradicional comunica uma imagem businesslike, sempre polida, elegante e arrumada, em cores escuras e neutras, sem detalhes chamativos. Peças atemporais e de design clássico, linhas retas e alfaiataria definem o Estilo Tradicional. Alguns elementos que permitem reconhecer facilmente o Estilo Tradicional são os costumes para os homens e  os terninhos para as mulheres, calças retas, blusas de corte reto, saias abaixo do joelho (alô midi!), e sapatos clássicos sem muitos enfeites. Estampas tradicionais como xadrez e pied poule se encaixam no Estilo Tradicional. Os acessórios preferidos das mulheres de Estilo Tradicional são jóias pequenas e discretas, e bolsas com linhas retas, mais estruturadas e clássicas.

Exemplos de marcas que produzem principalmente roupas que se encaixam no Estilo Tradicional: Brooks Brothers, Calvin Klein, Jones of New York, Talbot’s, Brooksfield, Maria Filó, Burberry.

ESTILO ELEGANTE

Refinado e imponente, o Estilo Elegante comunica um ar de confiança, perfeição, atemporalidade, distinção, segurança e graça, com uma postura sempre digna, polida e contida. Há um elemento de formalidade e prestígio neste estilo. As pessoas que se encaixam no Estilo Elegante costumam ocupar posições de visibilidade e high-profile.

O Estilo Elegante é definido por roupas simples e excepcionalmente bem feitas, monocromáticas ou de cores com tom sobre tom. Os tecidos costumam ser leves e naturais. Os homens usam ternos e costumes extremamente bem cortados, e as roupas femininas alongam e mostram suavemente as curvas.

Exemplos de marcas que produzem principalmente roupas que se encaixam no Estilo Elegante: Ann Klein, DKNY, St. John, Valentino, Armani, Ralph Lauren, Chanel, Massimo Dutti.

ESTILO ROMÂNTICO

Doçura e leveza definem o Estilo Romântico, que geralmente projeta uma figura lady like e delicada. As mulheres que se encaixam neste estilo costumam ser moderadas nas suas ações e cuidadoras naturais, interessando-se por atividades tradicionalmente femininas como educação e enfermagem, entre outras.

O Estilo Romântico é facilmente reconhecido pelas roupas discretas, que criam silhueta ampulheta solta, mostrando as curvas de maneira sutil, com comprimentos mais longos, cores leves e neutras, tons pastéis, e bastante fluidez. Os tecidos escolhidos são macios, leves e aconchegantes, e as estampas costumam ser florais, paisley, pois.

Exemplos de marcas que produzem principalmente roupas que se encaixam no Estilo Romântico: Chanel, Dior, YSL, Eileen Fisher, Anthropologie, Free People, Maria Filó, Eva, Animale, A.Brand.

ESTILO EXUBERANTE/GLAMUROSO

O Estilo Exuberante/Glamuroso é sensual, sedutor, atraente, cativante. As pessoas donas deste estilo são confiantes, ousadas, extrovertidas, amam glamour e costumam ser muito sociáveis. Se tratando das mulheres do Estilo Sexy/Glamuroso, elas costumam estar muito confortáveis com seu corpo, revelando suas curvas. Em geral, pessoas de Estilo Sexy/Glamuroso costumam trabalhar nas indústrias do entretenimento, fitness, mídia, ou moda.

É fácil reconhecer o Estilo Exuberante/Glamuroso pelas roupas justas, que destacam as curvas do corpo, pelas cores vibrantes, pelos tecidos com elasticidade e que podem variar da seda ao couro. Animal print é um básico do Estilo Sexy/Glamuroso. As mulheres que se identificam com o Estilo Sexy/Glamuroso costumam gostar de decotes e roupas justas, acessórios chamativos, sapatos e bolsas poderosos. O Estilo Sexy/Glamuroso pode ser muito elegante, dependendo do grau de sensualidade empregada no look.

Exemplos de marcas que produzem principalmente roupas que se encaixam no Estilo Exuberante/Glamuroso: Versace, BCGB, Guess, Diane Von Furstenberg, Animale, Eva.

ESTILO CRIATIVO

As pessoas que se encaixam no Estilo Criativo costumam ser muito originais e artísticas, donas de uma imaginação fértil, muito livres e inventivas, espontâneas e, por vezes, peculiares (quirky é o meu adjetivo preferido pra esse estilo). Estas pessoas costumam trabalhar em áreas que estimulam a criatividade, ou tem hobbies criativos, interessando-se por arte, moda, dança, literatura, música, etc. Homens e mulheres de Estilo Criativo costumam se arriscar no seu guarda-roupa, que geralmente é uma janela das suas necessidades criativas.

O Estilo Criativo é reconhecido pela mistura de tudo com tudo, pela sua imprevisibilidade ou pela combinação única de tecidos, texturas e estilos, podendo ser por vezes exagerado. As peças de roupa podem ser sobrepostas, muito coloridas, sem muita preocupação ou muito foco na silhueta. Os looks podem ser temáticos, sem limites ou restrições pra todas as estampas, texturas e cores que fazem parte de um guarda-roupa de Estilo Criativo. Os acessórios que se encaixam no Estilo Criativo são coloridos e diferentes, sempre muito originais e inusitados.

Exemplos de marcas que produzem principalmente roupas que se encaixam no Estilo Criativo: Anthropologie, Prada, Jean Paul Gautier, Farm, Dress To, Eva.

ESTILO DRAMÁTICO/FASHIONISTA

O Estilo Dramático/Fashionista é bastante sofisticado, e comunica uma imagem confiante, assertiva, ousada, urbana, poderosa, com uma inerente sedução. Esse estilo dá espaço para as tendências do momento, que são sempre combinadas com elegância. Pessoas de Estilo Dramático/Fashionista tem uma presença forte e sua maneira de vestir-se costuma ser carismática, intimidante e sem remorsos, combinando elementos que reflitam sua personalidade. Estas pessoas costumam trabalhar nas áreas de entretenimento, moda, marketing, arte, mídia, consultoria, relações públicas, etc.

É fácil reconhecer o Estilo Dramático/Fashionista porque ele não é nada clássico, embora tenha um shape estruturado, por vezes com linhas e silhuetas exageradas, com cores desde muito claras até bem escuras, e também cores bem saturadas e combinações de alto contraste. Os looks são sempre statement, transmitindo uma mensagem bem forte e muito clara.

Exemplos de marcas que produzem principalmente roupas que se encaixam no Estilo Dramático/Fashionista: Dior, Chanel, YSL, Karl Lagerfeld, Prada, Missoni, Animale, A.Brand, Eva, Fendi.