Círculo cromático & combinações de cores

Na hora de combinar cores, muita gente se desespera por conta da insegurança de misturar cores aparentemente opostas. Usar cores requer técnica e um pouquinho de intuição, porque mostrar para o mundo a mensagem exata que queremos transmitir exige, acima de tudo, autoconhecimento – e, claro, uma orientação bem conduzida.

roda de cores

Seja no look ou na decoração de casa, a mensagem que transmitimos para o mundo também é comunicada por meio das cores; há outros meios de comunicar quem nós somos, mas este post é sobre cores, e é neste assunto que quero me aprofundar um pouquinho hoje.

É importante conhecer o círculo cromático e as combinações de cores para, por exemplo, montar looks segundo a tendência do color-blocking, que nada mais é do que exatamente o uso das cores do círculo cromático, combinando-as para criar combinações interessantes e visualmente agradáveis. Na moda, a tendência é amplamente associada ao trabalho artístico do pintor holandês Piet Mondrian. O visionário estilista Yves Saint Laurent criou uma coleção em 1965 em homenagem a diversos artistas modernos, e faziam parte desta coleção 6 vestidos do tipo cocktail inspirados pelas pinturas de Piet Mondrian. A coleção de 1965 de YSL ficou conhecida como “Coleção Mondrian” por conta do enorme impacto que estes 6 vestidos causaram.

Cores complementares

As cores complementares são aquelas que estão opostas no círculo cromático e, por consequência, tem muito contraste.

cores complementares

Por exemplo: a cor complementar do verde é o vermelho, a cor complementar do azul é o laranja, a cor complementar do violeta é o amarelo, e assim por diante.

Cores análogas

As cores análogas, por sua vez, estão lado a lado no círculo cromático. O resultado disso é que as cores análogas tem uma cor básica em comum.

cores análogas

Quando optamos por combinar cores análogas, o resultado que temos costuma ser elegante, trazendo uma sensação de unidade e coerência.

Combinação de cores tríade

A combinação de cor tríade é o resultado do uso de três cores equidistantes no círculo cromático, formando um triângulo equilátero dentro do círculo cromático. É bem simples: escolha uma cor no círculo cromático, pule três cores e escolha a próxima cor, pule outras três cores e terá a tríade formada. Alguns exemplos de combinação de cor tríade são: verde, laranja e violeta; vermelho, amarelo e azul; roxo, verde e vermelho alaranjado.

cores tríade

A moda se alimenta da arte, e podemos notar este tipo de combinação de cores em algumas obras fauvistas (surgido no começo do século XX, este movimento vanguardista francês é conhecido principalmente pelo uso das cores fortes e puras, além de obras que fugiam das regras da realidade) e, principalmente, no estilo pop art (movimento artístico que surgiu na Inglaterra a partir da metade dos anos 1950, caracterizado pela utilização de cores vivas e a alteração do formato das coisas).

Combinação de cor complementar dividida

Um pouco menos vibrante do que as combinações de cores análogas ou complementares, a combinação de cor complementar dividida é bem simples de se fazer: ao invés de se escolher a cor complementar direta, são escolhidas as duas cores adjacentes.

cores complementar dividida

Ou seja: se escolhermos o vermelho, as outras duas cores da combinação de cor complementar dividida serão o verde amarelado e o verde azulado. Outros exemplos de combinação de cor complementar dividida: violeta, laranja e verde amarelado; vermelho, verde amarelado e verde azulado; azul, laranja amarelado e laranja avermelhado.

Combinação de cor quadrado harmônico

Também conhecida como harmonia 90°, o quadrado harmônico utiliza quatro cores que formam um quadrado dentro do círculo cromático. É uma combinação de cor vibrante, uma vez que são combinadas cores complementares. Alguns exemplos de combinação de cores do tipo quadrado harmônico são: verde, laranja, azul e vermelho; ciano, roxo, laranja avermelhado e amarelo.

cores quadrado harmônico

Para os looks, esse tipo de combinação é bastante útil quando usamos estampas, e/ou acessórios coloridos e queremos ter certeza de que tudo está visualmente harmônico.

Combinação de cor retângulo

Usando, também, quatro cores, a vibrante combinação de cor retângulo forma exatamente um retângulo no círculo cromático, usando dois conjuntos de cores análogas para formá-lo.

cores retângulo

Do mesmo jeito que no quadrado harmônico, o retângulo é bastante útil para nos guiar  nas combinações de cores em estampas e/ou acessórios está harmônica de acordo com o círculo cromático.

Análise cromática e a Coloração capilar

Ah, o cabelo. O drama de tantas mulheres, e também de alguns homens. A cor do cabelo é algo que nós não deveríamos copiar de ninguém, nem seguir modas ou tendências porque o segredo das cores mais adequadas e que mais valorizam nossa beleza está em nós mesmas! A análise cromática revela a nossa harmonia e contraste naturais de tons de pele, cabelos, sobrancelhas e olhos. É por isso que, na hora da mudança, não devemos nos espelhar em ninguém!

Já sabemos que, quanto mais fiéis somos à nossa cartela de cores, mais amenizamos os efeitos negativos das cores sobre nosso rosto e podemos até mesmo diminuir o uso da maquiagem sem nos arriscar a ouvir que estamos abatidas e/ou cansadas.

fepa
Fernanda Paes Leme e um dos maiores (talvez o maior) erros da história recente da coloração capilar (nada contra FêPa, inclusive admiro desde os tempos de Sandy & Junior na TV)

O cabelo é a moldura do nosso rosto, e isso que minha vó dizia (e provavelmente a sua também) é a mais pura verdade. Quando escolhemos as cores erradas para o cabelo e ignoramos a harmonia e contrastes naturais, caímos numa cilada! Com todo respeito aos profissionais cabeleireiros, muitos simplesmente assassinam a beleza de suas clientes ao tingir com cores frias cabelos que deveriam manter tons quentes, ou que sequer prestam atenção ao contraste.

A análise cromática ajuda muito a evitar esse tipo de erro e garantir que haja coerência no seu rosto. Na consultoria de estilo, devemos nos guiar sempre pelo rosto, pois é o nosso principal cartão de visitas; portanto, é importante valorizar o seu contraste para garantir a harmonia visual 24 horas por dia, 7 dias da semana.

Cabeleireiros, nada contra vocês, muito pelo contrário, sou admiradora do trabalho que realizam nos cabelos das mais diferentes texturas.  Mas, além de garantir a harmonia do rosto das clientes, é preciso que cabelos sejam pensados para a vida real: eu já perdi a conta de quantas vezes cortei meu cabelo e saí com ele belíssimo do salão só pra chegar em casa, lavá-lo e deixá-lo secar naturalmente (quem me acompanha no instagram sabe do ranço que eu tenho de secador!) pra ver que ficou absolutamente diferente do que eu queria e que só funcionaria mesmo arrumado daquele jeito (coisa que jamais fiz). Eu (ainda) não pinto o meu cabelo, então por experiência própria só posso falar dos cortes frustrantes que já fiz; mas, como consultora de estilo, posso avaliar estes erros de coloração e dar meus dois dedinhos de contribuição para que quem pinta o cabelo evite cair nestas ciladas.

weasley
a definição de “ruivo Weasley”

A harmonia do seu rosto tem a ver com todas as suas características físicas. Por exemplo: uma pessoa muito alta provavelmente não ficaria bem com um cabelo chanel, do mesmo modo que uma pessoa muito baixa não ficaria bem com um cabelo ultra longo; uma pessoa de coloração fria e altamente contrastada (pele muito clara + olhos escuros + sobrancelha escura) dificilmente teria sua beleza natural valorizada por um cabelo ruivo Weasley, enquanto uma pessoa de coloração quente tem sua harmonia assassinada por cabelos platinados. Não significa que são cortes ou cores feios, mas é preciso avaliar individualmente qual corte funciona para as suas proporções e os seus traços e feições, se a coloração está compatível com a sua e, principalmente, avaliar se o todo (corte + cor) combina com a sua personalidade e com o seu estilo de vida.

sandy
Sandy, que eu amo desde que me entendo por gente, tem errado muito no contraste! Mesmo com maquiagem, dá pra notar que o cabelo um pouco mais escuro deixa a pele dela mais viçosa e a aparência mais jovem, enquanto as madeixas platinadas a deixam com cara de bem mais velha!

Um cabelo que requer alta manutenção (babyliss, escova, etc) jamais funcionaria para mim porque eu simplesmente não tenho paciência. Acho que foi por isso que fiquei tão frustrada da última vez que cortei meu cabelo curtinho: ele só ficava bom com babyliss ou quando usava o secador para dar volume, e é óbvio que se eu me dei esse trabalho 3 vezes foi muito. Esse corte foi feito em outubro de 2016, e foi só em janeiro que eu comecei a gostar do corte, porque o cabelo já tinha crescido um pouco e harmonizava melhor com as minhas feições e estilo de vida.

Eu tenho a ligeira impressão de que erros de cortes são mais fáceis de contornar porque “cabelo cresce”, enquanto corrigir um erro de tintura pode agredir e comprometer a saúde do seu cabelo. É claro que esperar o cabelo crescer requer paciência (ou extensões dos fios), mas não compromete a saúde dos seus fios, e você não precisa ficar horas sentada numa cadeira de salão.

Se você pode fazer a análise cromática e pode ter a ajuda de um consultor de estilo na hora de mudar a cor dos cabelos, maravilha. Mas se você ainda não sabe sua cartela de cores, uma dica fácil para saber se um determinado tom de cabelo ou de reflexos fica bom para você é observar os outros fatores que determinam o seu contraste em relação ao seu tom de pele: as cores dos seus olhos e suas sobrancelhas. O contraste é a única parte da análise cromática que pode ser identificada imediatamente, sem uso de material ou luz especial, e que pode mudar longo da vida, porque depende das mudanças capilares, do bronzeamento e de outras intervenções.

Já falei por aqui, mas não custa lembrar: o contraste é a diferença entre cor do cabelo, sobrancelha e olhos em relação ao tom da pele. O contraste é alto quando essa diferença é muito grande; o contraste é baixo quando essa diferença é pequena ou nenhuma; além disso, existe também o contraste médio. Pensando em mudar a cor do cabelo, restam os outros três fatores a serem analisados, levando-se em consideração se você é uma pessoa que se bronzeia muito e/ou com facilidade (porque aí seu tom de pele muda com alguma frequência e pode influenciar no seu contraste) e aí você pode ter um direcionamento para qual tom de cabelo favorecerá mais a sua beleza natural!

Análise cromática: o que é e pra que serve?

Quando eu fiz meu curso de formação na London College of Style, tive a maravilhosa oportunidade de aprender sobre as cores e como fazer a análise cromática com Jules Standish, autora de 2 livros e referência no assunto. Com ela, aprendi o método chamado Colourflair system of image consultancy, que foca na genética e na personalidade de cada indivíduo para descobrir quais são os tons e as cores que mais valorizam cada pessoa.

Durante uma consultoria de estilo e análise cromática, é preciso avaliar a pele do rosto com o mesmo cuidado que um cirurgião e/ou dermatologista teria para melhorar a aparência individual: a escolha correta das cores para cada tom de pele pode rejuvenescer instantaneamente, e o objetivo é garantir que a sua aparência e os seus traços sejam o mais saudáveis e atraentes quanto possível!

As paletas de cores são divididas em 4 estações (primavera, verão, outono e inverno), e cada uma destas 4 estações tem 3 subdivisões: primavera leve, primavera clara, primavera quente, inverno profundo, inverno claro, inverno frio, outono profundo, outono suave, outono quente, verão leve, verão suave, verão frio. Por ser altamente complexa, a única maneira de descobrir a cartela de cores de uma pessoa é por meio de uma análise cromática presencial!

roda de cores

Como eu falei no primeiro parágrafo, não é só a genética que importa na análise cromática: a personalidade também é um fator muito importante. A análise cromática tem uma relação intensa com a psicologia e é importante considerar as características psicológicas de cada indivíduo quando se está analisando a cartela de cores pessoal. Sociabilidade, humor, entusiasmo, curiosidade, teimosia, lealdade, criatividade, otimismo, perfeccionismo, disciplina e autoconfiança são algumas das características psicológicas que precisam ser avaliadas para ajudar na definição da cartela de cores de um indivíduo.

psicologia das cores

A cartela de cores só é realmente importante nas áreas próximas ao rosto, então é importante observá-la quando estiver escolhendo maquiagem, cabelo, acessórios (gorro e cachecóis podem fazer toda a diferença!), blusa, camisa e vestido. Com exceção do branco e do preto, as cartelas de cada estação tem pelo menos algum tom de cada cor. Ninguém precisa amar todas as cores que estão na sua cartela: afinal, você não é obrigado a usar todas elas! Aliás, dependendo do seu contraste, o ideal será evitar algumas destas cores perto do seu rosto. No mais, as restrições podem ser contornadas: quem tem tom de pele quente, por exemplo, deve evitar preto preto do rosto, ou então  “errar com consciência”, buscando amenizar os efeitos ruins da cor preta com os acessórios e/ou batom, por exemplo.

Aliás, vou usar algumas fotos minhas como exemplos de erros x acertos na coloração pessoal, usando três exemplos de óculos de grau: uma armação cinza, uma armação preta, e uma armação tartaruga. Em todas as fotos, eu estou sem maquiagem – exceto quando apareço de batom (mas aí estou só de batom mesmo).

coloração pessoal errada 01
óculos de grau cinza: na foto da esquerda, eu estou muito mais pálida do que na foto da direita! na foto da esquerda, estou com cachecol preto: ou seja, são 2 cores erradas muito próximas do meu rosto! já na foto da direita, o cachecol vinho equilibra o a cor “errada” dos óculos e eu pareço menos pálida.
coloração pessoal errada 02
óculos de grau preto: na foto da direita eu estou mais pálida do que na foto da esquerda! embora eu esteja toda de preto na foto da esquerda, o batom vermelhinho traz o equilíbrio necessário, e até minhas bochechas estão mais rosadas. na foto da direita, o tom de bege do casaco e o tom de rosa do suéter não compensaram o efeito da armação de óculos preta!
a cor do meu cabelo está diferente na foto da direita porque, na Escócia, eu sou ruiva! hihihi! tem alguma coisa na luz escocesa que muda a cor do meu cabelo!!
óculos com armação tartaruga: embora essa cor de óculos seja muito boa pra mim, na foto da esquerda eu estou mais pálida, mesmo no sol, porque estou usando um cachecol predominantemente cinza! na foto da direita, o gorro e o cachecol nas cores certas não só compensam o casaco bege como garantiram uma carinha saudável!

O contraste é a única parte da análise cromática que pode ser identificada imediatamente, sem uso de material ou luz especial, e que pode mudar longo da vida: o contraste depende das mudanças capilares, do bronzeamento e de outras intervenções. O contraste é a diferença entre cor do cabelo, sobrancelha e olhos em relação ao tom da pele: o contraste é alto quando essa diferença é muito grande; o contraste é baixo quando essa diferença é pequena ou nenhuma; além disso, existe também o contraste médio.

Como vocês podem ver pelas fotos acima, o meu contraste é alto: meu cabelo, minha sobrancelha e meus olhos são muito mais escuros do que o meu tom de pele! O óculos cinza é o pior de todos pra mim porque é uma cor muito clara, que não dá certo no meu contraste. O óculos preto pode até enganar e parecer bom pra mim porque a cor escura harmoniza um pouco melhor com o meu contraste. O óculos tartaruga é o melhor dos 3 pra mim porque a cor dele é muito próxima das cores do meu cabelo e olhos, e o contraste fica bem equilibrado.

A análise cromática existe para indicar quais cores valorizam os traços e características pessoais, e é importante coordenar a cartela de cores com o contraste. O contraste é uma ferramenta importante na consultoria de imagem porque o personal stylist te ensinará a manter o equilíbrio de cores perto do rosto. Além disso, o profissional, com seu olhar treinado, poderá indicar se o seu contraste atual é realmente a sua melhor versão, já que o contraste pode não estar completamente equilibrado. Nesse caso, é possível ajustar o contraste – como eu falei no parágrafo anterior, o contraste depende das mudanças capilares, do bronzeamento, da sobrancelha, etc.

Uma das coisas que a Jules disse, e que eu acho que nunca vou esquecer, é que, acima de tudo, a gente quer é deixar o cliente feliz: sempre vai existir aquela cor UAU, que vai causar um sorriso no rosto e uma felicidade impossível de conter. E é esse o meu objetivo como personal stylist: fazer cada pessoa sentir uma felicidade impossível de conter quando estiver de frente pro espelho, trazendo o melhor de dentro pra fora!